Riccardi Andrea: na web

Riccardi Andrea: em redes sociais

Riccardi Andrea: revista de imprensa

change language
você está em: home - news newsletterlink

Support the Community

  
5 Março 2009

Roma, Basílica de São Bartolomeu. Entrega do autógrafo do Beato Inácio Maloyan, bispo armeno à Comunidade de Sant’Egidio

 
versão para impressão

No dia 5 de Março de 2009, o Patriárca católico armeno, sua Beatitude Nerses Bedros XIX Tarmouni entregou à Comunidade de Sant’Egidio uma carta autógrafa do Beato Inácio Maloyan, arcebispo de Mardin, vítima dos massacres que tiveram lugar em 1915 em Turquia, para que seja conservada junto da memória dos mártires e testemunhas da fé do século XX, de que a Basílica é memorial. 

A relíquia foi levada em procissão no decurso de uma litúrgia da Palavra, presidida pelo Patriárca,  e colocada no altar dedicado aos mártires e testemunhas da Ásia, Médio-Oriente e Oceánia. 

Homilia feita por sua Beatitude Nerses Bedros  na Basílica de S. Bartolomeu all’isola Tiberina

Algumas imagens da comemoração
S.B. Nerses Bedros XIX Tarmouni, Catholicos Patriarca di Cilicia degli armeni  Saluto del Prof. Marco Impagliazzo, presidente della Comunità di Sant'Egidio
S.B. Nerses Bedros XIX Tarmouni (Catholicos Patriarca di Cilicia degli armeni) e Don Angelo Romano (Rettore della Basilica di San Bartolomeo all'Isola Tiberina)  Processione
 Deposizione della lettera del Beato Maloyan nella Cappella dedicata ai Nuovi Martiri  in Asia, Oceania e Medio Oriente  Lettera del Beato Ignazio Maloyan
Paixão e morte do Beato Inácio Maloyan e dos seus fiéis.

Ignazio MaloyanNo dia 1 de Maio de 1915, depois de vasculha infrutuosa da igreja por parte do exército à procura de armas, Monsenhor Maloyan reuniu o seu cléro e deu-lhes o seu testamento espiritual: 

“Antes de tudo exorto-vos para que fortifiqueis a vossa fé sobre a rocha de Pedro  e reforceis a vossa esperança na Santa Cruz... Donde é que provém o  desejo de ver o nosso sangue de pecadores misturado com aquele de homens justos e puros? Que os planos do Altíssimo sejam actuados em nós, por todas as maneiras, mesmo com a deportação ou o martírio. O meu desejo maior é de ver o meu  rebanho seguindo o meu exemplo e de ficar fiéis às ordens da Sede Apostólica. Confio-vos a Deus, amados filhos, e peço-vos para que rogueis a Deus para conceder-me a força e a coragem de viver esta vida na Sua graça e no Seu amor até a efusão do sangue."

No dia 3 de Junho, solenidade do Corpo do Senhor, chegam na cidade as primeiras notícias sobre a deportação dos Arménios de Dijarbekir em direcção à Mossul. Monsenhor Maloyan estava celebrando a Santa Missa, quando ao terminar a procissão, Mardin é circundada pelo exército à cavalo e por milícias. Os militares percorreram as estradas do bairro armeno capturando os nobres (seguiram, em pouco tempo, três grupos de deportados, dos quais o segundo era composto por mulheres, crianças e idosos).

Monsenhor Maloyan recebe a notificação da sua prisão juntamente com seis padres da diocese, acusados de detenção de armas. Conduzidos ao posto policial, Monsenhor Maloyan foi investigado com outras 27 pessoas da sua comunidade.

Na sexta-feira, 11 de junho, na solenidade do Sagrado Coração de Jesus, foi concedida aos condenados uma hora para prepararem-se à  morte. Monsenhor Maloyan pede a permissão para falar aos seus. Depois de ter rogado ao Senhor para lhes conceder a força e a perseverança de suportar o martírio, concede-lhes a absolução. Em seguida consagra o pão que os deportados levavam consigo, partiu e deu aos padres e aos leigos que estavam presentes.

Monsenhor Maloyan foi de seguida conduzido sozinho num cavalo até a zona de Kara-keupru, que dista três horas de Dijerbekir. Ali, com apenas 46 anos, foi assassinado com um tiro na cabeça. No total, morreram naquele primeiro massacre de cristãos de Mardin, 415 pessoas.


 LEIA TAMBÉM
• NOTÍCIA
23 Abril 2017

A homilia do Papa, os testemunhos e as intervenções na oração pelos Novos Mártires. TODOS OS TEXTOS

IT | ES | FR | PT | HU
17 Setembro 2010

Roma: Na Basílica de S. Bartolomeu, a memória dum bispo cambojano vítima do genocídio dos khmer vermelho

IT | EN | ES | DE | FR | PT | CA | NL
8 Julho 2017
GOMA, REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DO CONGO

10 anos depois de ter sido morto recordamos Floribert Bwana Chui, congolês, mártire da corrupção

IT | ES | DE | FR | PT | CA
23 Abril 2017

A herança viva dos mártires dá-nos hoje paz e unidade. Eles ensinam-nos que, com a força do amor, com a mansidão, se pode lutar contra a prepotência, a violência, a guerra e pode-se realizar com paciência a paz.

IT | PT
22 Abril 2017
ROMA, ITÁLIA

A oração do Papa Francisco para os mártires do nosso tempo. As imagens da visita

IT | EN | ES | DE | FR | PT | HU
22 Abril 2017
ROMA, ITÁLIA

Papa Francisco em São Bartolomeu, para rezar em memória dos Novos Mártires. O vídeo completo da visita

IT | EN | ES | DE | FR | PT | CA | NL | RU
todas as notícias
• IMPRIMIR
20 Abril 2017
el Periódico

El papa recordará el sábado a los "nuevos mártires del siglo XX y XXI

21 Julho 2017
Vatican Insider

Padre Jaques Hamel, Chiesa e Stato insieme per celebrare il primo anniversario della morte

16 Maio 2017
La Civiltà Cattolica

La corruzione che uccide. La storia di Floribert Bwana Chui

10 Maio 2017
Avvenire

Pakistan. Shahbaz Bhatti, sangue cristiano versato per gli altri

25 Abril 2017
Corriere della Sera

Bergoglio disarmato di fronte alla violenza

24 Abril 2017
Vatican Insider

Il Papa: “I campi profughi sono campi di concentramento”

todos os press releases
• EVENTOS
23 Maio 2017 | SAN SALVADOR, EL SALVADOR

Oración en memoria del segundo aniversario de la beatificación del Beato Óscar Romero

Todas as reuniões de oração pela paz
• DOCUMENTOS

La homilía de mons. Matteo Zuppi

todos os documentos

FOTOS

451 visitas

506 visitas

450 visitas

432 visitas

482 visitas
todos os meios de comunicação relacionados
MAIS

Para saber mais

Basílica de São Bartolomeu


Comunidade Armena em Roma