Riccardi Andrea: na web

Riccardi Andrea: em redes sociais

Riccardi Andrea: revista de imprensa

change language
você está em: home - news newsletterlink

Support the Community

  
11 Agosto 2009

Bukavu (RDC): Depois a “carta aberta” da Comunidade de Sant'Egidio, foram libertados os jovens da rua presos por razões de "decoro". Para eles, a volta para casa e um novo futuro.

 
versão para impressão

Depois da “ Carta aberta” da Comunidade de Sant’Egidio de Bukavu e do debate suscitado por esta intervenção, as autoridades judiciárias libertaram os vinte e nove menores detidos no fim do mês de Maio com a acusação de “sujidade, pouco cuidado no vestuário, potencial atitude ao crime”.


Para eles a Comunidade abriu a perspectiva dum novo futuro, com a reintegração nas famílias, os estudos e o início de um trabalho.  

 

 

 
A Carta Aberta da Comunidade de Sant’Egidio de Bukavu 

A história


 O pecado de P. de doze anos, foi de ter partido um velho rádio. A sua má sorte, aquela de ter uma madrinha que não lhe queria em casa e que aproveitou-se deste episódio para lhe expulsar de casa. Mas isto em Congo, não é um evento raro. Crianças e meninos, as vezes órfãos ou refugiados, acolhidos nas casas, são facilmente afastados delas e muitas vezes são até acusados de feitiçaria. 
C., pelo contrário, não esperou de ser expulso, saiu sozinho, e alcançou o grupo dos “enfants de rue de Bukavu”. Dormem em lugares perto da Catedral que da colina domina a cidade, que é semelhante a uma mão aberta. Os cinco dedos correspondem as cinco penínsulas que se estendem sobre o rio Kivu. Seria um paraíso, se não tivesse sofrido quinze anos de guerra.  

Desde 2001 a Comunidade de Sant’Egidio de Bukavu cuida a distribuição semanal dos pães aos meninos de estrada. A cidade olha para estes meninos com indiferença, desprezo e lhes chama shegue. Mas aproximar-se deles é fácil, eles são felizes, a distribuição conclui-se sempre com uma festa. As histórias dos shegue que inspiram estupefacientes para distrair-se, são todas semelhantes, histórias de pobreza, de falta de comida, de escolas abandonadas, de famílias destruídas Nas localidades, os grupos armados caçam os adultos recrutam crianças e rapazes. Para subtrair-se disto não há alternativas que fugir para as cidades.   

Entre Abril e Maio, como temos reportado nas páginas do website, em Bukavu decide-se de repente que os mais pobres representam um problema de “decoro” urbano e de ameaça à segurança. C. e P foram capturados e levados a cadeia junto de outras 85 pessoas, entre elas 29 menores e dois deficientes. 

O caso teria passado despercebido, se a Comunidade de Bukavu, depois de ter trabalhado com discrição para libertar o primeiro grupo, não tivesse decidido de escrever e difundir uma carta aberta, que nota que aquela medida era indigna de um Estado de direito como a RDC. Junto, a Comunidade faz contactos com as autoridades, os juízes, a polícia. A carta faz rumor e torna-se um caso. A Igreja local e muitas ONG’s associam-se ao apelo. As pressões multiplicam-se, até a libertação de todos os menores detidos. 

A libertação é somente uma passagem para C.P. e outros jovens. De facto, ma vez livres, é necessário encontrar rapidamente uma perspectiva, tirar-lhes da estrada. É deste modo que se aluga uma casinha de madeira num bairro popular, perto do instituto profissional que forma mecânicos, carpinteiros, operários edis. A casa baptizada por ‘l’Arche de l’amitié’, ‘Arca da amizade’, acolhe seis deles, que o bairro “adopta” com simpatia. Os rapazes são inscritos na escola de artes ofícios. Todos os dias alguém da Comunidade visita a Arca. No entanto foram contactadas as famílias de oito meninos. Graças as ajudas de um padre branco que oferece a cada um deles um baril de petróleo (suficientes para iniciar uma pequena actividade) as famílias acolhem novamente os meninos. 

Do grupo dos quinze meninos que viviam diante da Catedral somente um recomeçou a vagabundear. Os outros voltaram as casas, entre a surpresa de todos.

Na carta aberta dizia-se que “pela nossa experiência podemos afirmar que os pobres não são potenciais malfeitores. Ninguém é tal, mas são as condições sociais da vida, as situações humanas muitas vezes dolorosas ligadas aos eventos dos últimos anos de guerra do nosso País, que levam os homens, mulheres, crianças, a fazer gestos as vezes desesperados, e as vezes violentos, contra os bens das pessoas. Mas aqui não se trata de fazer uma outra guerra para garantir a segurança da cidade… ”

A história de P., de C. e de outros jovens demonstrou quanto estas palavras fossem verdadeiras.
 


 LEIA TAMBÉM
• NOTÍCIA
24 Abril 2017
BUKAVU, REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DO CONGO

No Congo Sant'Egidio celebra a Páscoa ao libertar alguns jovens prisioneiros da prisão de Bukavu

IT | ES | FR | PT | NL | RU | HU
2 Janeiro 2017

Boas notícias do Congo: alcançou-se um acordo sobre as eleições. O papel decisivo da Conferência Episcopal

IT | ES | DE | FR | PT
23 Dezembro 2011

PajulePajule (Norte do Uganda) – Graças ao o programa, BRAVO! cerca de 200 alunos recebem a certidão de nascimento

IT | ES | DE | PT | CA | NL | RU
8 Novembro 2011

Burkina Faso - Visita do ministro da Administração territorial aos cursos de formação para os agentes do registo civil

IT | EN | ES | DE | FR | PT | CA | NL | RU
2 Novembro 2011

Ouagadougou (Burquina-Faso) - Inaugurado o primeiro curso de formação dos agentes do registo civil promovido pelo Bravo! para o registo universal e gratuito dos nascimentos

IT | EN | ES | DE | FR | PT | CA
6 Setembro 2011

"Bravo!", a campanha do registo gratuito dos nascimentos, chegou em Moçambique!

IT | ES | DE | FR | PT | CA | RU
todas as notícias
• IMPRIMIR
28 Março 2017
La Civiltà Cattolica

La corruzione che uccide

19 Agosto 2017
La Provincia Pavese

Otto pavesi al servizio dei bimbi di strada

5 Agosto 2017
L'Eco di Bergamo

Impagliazzo: "Caccia alle ONG ora basta, si perseguano i trafficanti"

2 Agosto 2017
OnuItalia

In Congo e Burundi le iniziative di Sant’Egidio per gli anziani. Case per chi è in difficoltà

27 Julho 2017
La Stampa

Così si salvano i bimbi invisibili

27 Julho 2017
Famiglia Cristiana

Andrea Riccardi: La nuova Africa tra ricatti e riscatto

todos os press releases
• PENA DE MORTE NO
31 Outubro 2014

Inaugurata a Bukavu la campagna "Città per la vita"

12 Outubro 2014
All Africa

Africa: How the Death Penalty Is Slowly Weakening Its Grip On Africa

20 Setembro 2014

Ciad: il nuovo codice penale prevede l'abolizione della pena di morte

20 Setembro 2014
AFP

In Ciad rischio criminalizzazione gay, ma abolizione pena morte

ir para nenhuma pena de morte
• DOCUMENTOS

''Entente de Sant'Egidio'': Political Agreement for Peace in the Central African Republic

Declaration of the African Union on the Republican Pact"

todos os documentos

FOTOS

1472 visitas

1418 visitas

1461 visitas

1405 visitas

1399 visitas
todos os meios de comunicação relacionados