Riccardi Andrea: na web

Riccardi Andrea: em redes sociais

Riccardi Andrea: revista de imprensa

change language
você está em: home - news newsletterlink

Support the Community

  
2 Janeiro 2014

AS PALAVRAS DO PAPA FRANCISCO

Violências e injustiças em muitas partes do mundo não nos podem deixar indiferentes e imóveis:

é necessário o empenho de todos para construir uma sociedade verdadeiramente mais justa e solidária.

 
versão para impressão

 Fazemos parte da mesma família e compartilhamos um destino comum.: Daqui deriva para cada um a responsabilidade de actuar para que o mundo se torne uma comunidade de irmãos que se respeitam, se aceitam na sua diversidade e cuidam uns dos outros. Somos também chamados a darmo-nos conta das violências e das injustiças presentes em tantas partes do mundo e que não nos podem deixar indiferentes e imóveis: é necessário o empenho de todos para construir uma sociedade verdadeiramente mais justa e solidária. Ontem recebi uma carta de senhor, talvez um de vós, que relatou de uma tragédia familiar, em seguida, enumerou as muitas tragédias e guerras no mundo de hoje, e me perguntava: o que se passa no coração do homem, que é levado a fazer tudo isso? E dizia, no fim: "É hora de parar". Eu também acho que nos fará bem parar neste caminho da violência, e buscar a paz . Irmãos e irmãs, faço minhas as palavras deste homem: o que é que se passa no coração do homem, o que se passa no coração da humanidade?  É hora de parar! 


De todos os cantos da terra, os crentes hoje elevam a oração para pedir ao Senhor o dom da paz e a capacidade de a trazer em qualquer ambiente. Neste primeiro dia do ano, o Senhor nos ajude a pormo-nos mais firmemente a caminho para justiça e a paz. E comecemos em casa! Justiça e paz em casa, entre nósComeça-se em casa e, em seguida, vai-se a frente, para toda a humanidade. Mas temos que começar em casa. O Espírito Santo aja nos corações, derreta os encerramentos e as durezas e conceda-nos a ternuraperante a fraqueza do Menino Jesus. A Paz, de facto, exige a força da mansidão, força não violenta da verdade e do amor.

 

Angelus 1 de Janeiro 2014

(texto completo)