Riccardi Andrea: na web

Riccardi Andrea: em redes sociais

Riccardi Andrea: revista de imprensa

change language
você está em: home - news newsletterlink

Support the Community

  
6 Agosto 2014

Iraque e Síria: Perseguições, o alarme já não é suficiente. Agora é preciso pensar em soluções práticas

Andrea Riccardi no jornal "Corriere della Sera"

 
versão para impressão

CORRIERE DELLA SERA 

A SITUAÇÃO DRAMÁTICA NO IRAQUE E NA SÍRIA                                          

Perseguições, o alarme já não é suficiente. Agora é preciso pensar em soluções práticas 

 A situação dos cristãos no Iraque e na Síria é cada vez mais dramática. É um mundo que, infelizmente, está a arriscar de acabar. Todavia, por quase vinte séculos, resistiu a muitas guerras e invasões, certamente não benevolentes para com os cristãos. Mas agora nem consegue encontrar aqueles espaços (embora reduzidos) que muitos governantes intolerantes lhes tinham deixado ao longo dos séculos anteriores. Está a lidar-se com um totalitarismo islâmico, que não aceita as diversidades, nem sequer no interior da sua própria comunidade religiosa. Os cristãos estão a ser expulsos e destroe-se um património cultural único. Na Europa seguem-se um ao outro as intervenções de líderes de opinião e clérigos, que, com razão, denunciam a situação. Chicoteam, muitas vezes, o silêncio da nossa sociedade. Mas há meses que se está a falar sobre este drama (como na Itália estão a fazer o “Avvenire” e o nosso jornal). Claro que nunca é suficiente. 

Embora às vezes confunda-se a situação dos cristãos sírio-iraquianos com a dos judeus: duas realidades difíceis, mas tão diferentes. Todavia – para ser honestos – o problema hoje não é o silêncio, mas a impotência. E a impotência esta a venda, por ser muita, e vem de longe. Dirigir-se para um "mítico" Ocidente, para que defenda os cristãos, já não se enquadra na categoria de factos reais. Ainda cem anos atrás, a França iria intervir com força militar (como fez no início do século passado, quando o sultão não reconheceu o Patriarca Caldeu). A referência para o Ocidente permanece no horizonte dos cristãos orientais: "mas o que está a fazer a França?" perguntou-me com amargura um deles. Infelizmente, França, EUA, Alemanha, Itália, estão apertados numa camisa de impotência. A Rússia, muito atenta ao destino do Oriente cristão, apóia o regime de Assad, considerado pela maioria dos cristãos como o último bastião. 

Na verdade, no que diz respeito aos cristãos do Iraque, o último capítulo de uma longa história triste começou com a guerra americana contra Saddam Hussein. Não existe saudade nenhuma do governo do ditador, mas os cristãos sentiam-se garantidos pela sua tirania "leiga". 

O Patriarca Caldeu Bidawid dava a volta do Ocidente, ao repetir que Saddam era a última garantia. Todavia, houve a guerra. Alguns falaram de choque para afirmar a democracia. Mesmo em nossa casa. Também se afirmou que se estavam a defender os valores cristãos. 

João Paulo ll, certamente não um amigo de ditadores, denunciou aquela guerra com grande clareza. E mesmo no mundo católico nem sempre foi seguido, mas se actuaram várias distinções. Pela guerra e pelo caos que seguiu, começou o fim dos cristãos iraquianos, que passaram de 1,4 milhões para os actuais 300 mil. Foi um momento de insegurança total. 

Quem puder emigra. Como criticá-lo, quando as famílias estão sujeitas a coabitações impossíveis em bairros atingidos pelo banditismo e terrorismo? Ou quando as igrejas são vátimas de ataques? 

No caos do Iraque, foi apresentada a idéia de uma província  com forte presença cristã nas planícies de Nínive (aqui agora encontram refúgio os cristãos que escaparam de Mosul islamizada). Os norte-americanos apoiaram o projeto. A presença curda e a proximidade do Curdistão ofereciam garantias de segurança. Por parte da Igreja se disse que se iria criar um "gueto". Não era o ideal, mas um paliativo para uma minoria em risco em todos os lugares. Na verdade, até mesmo no mundo da Igreja, não houve um projeto. Volta a impotência que domina sobre todos. Então, injuriar contra a Europa exigiria um pouco mais de reflexão. Para os cristãos, o erro foi a guerra contra Saddam. Mas agora o Ocidente que pode fazer? A França propôs asilo aos cristãos expulsos. Já é muito para uma Europa com as portas fechadas. Recebeu respostas negativas pelos prelados franceses e iraquianos, que pedem aos cristãos de permanecer. Há anos que os bispos orientais o pedem, mas, infelizmente, as famílias, se puderem, buscam segurança e futuro no exterior. 

A impotência assusta. Assim multiplicam-se os gritos. Talvez a única chance hoje seja trabalhar para uma coexistência entre cristãos e curdos nas planícies de Nínive e no Curdistão. Entre os curdos (que foram perseguidores dos cristãos por um longo tempo) houve uma evolução cultural: abriram-se a uma interculturalidade que abre espaço para os cristãos. Isso pode ver também nas províncias curdas da Turquia como Mardin ou Diyarbakir. Nesta perspectiva, talvez as Igrejas e os países ocidentais possam agir. Para a Síria, o apelo para uma área de um cessar-fogo em Aleppo mostra – na minha opinião – a estrada para subtrair esta cidade, patrimônio da humanidade e lar de muitos cristãos, ao triste destino de cair nas mãos dos rebeldes islâmicos e seguir o caminho de Mosul. É preciso mostrar alguma saida em breve, pois vidas humanas estão em jogo. Cristãos e leigos no Ocidente estão desafiados a sair da impotência. Há a necessidade de pensar de uma forma realista e eficaz; nós não estamos desculpados pelos gritos que lançamos de forma contestadora. Esperamos que a boa idéia da Conferência Episcopal Italiana para um 15 de agosto dedicado à memória dos cristãos na dificuldade faça amadurecer energias e decisões.  

Com efeito, é preciso uma reflexão e uma ação "a mais".

Andrea Riccardi

OBJETOS ASSOCIADOS

 LEIA TAMBÉM
• NOTÍCIA
17 Novembro 2017
BANGLADESH

Viagem entre os refugiados Rohingya, que fugiram de Mianmar

IT | ES | DE | PT
15 Novembro 2017
MAPUTO, MOÇAMBIQUE

Em Maputo, uma conferência com Dom Matteo Zuppi para comemorar os 25 anos de paz em Moçambique olhando para o futuro

IT | ES | DE | PT
13 Novembro 2017
KUPANG, INDONÉSIA

Rumo ao 50° de Sant'Egidio, o encontro das ilhas indonésias de Timor e Flores

IT | ES | FR | PT | CA
12 Novembro 2017
INDONÉSIA

A visita de Marco Impagliazzo à Escola da Paz e à mesa dos pobres de Sant'Egidio em Jacarta

IT | ES | DE | FR | PT | CA | RU | ID
10 Novembro 2017
INDONÉSIA

Sant'Egidio e Muhammadiyah assinam um novo acordo em Jacarta pela paz e o diálogo inter-religioso

IT | ES | DE | FR | PT | CA | NL | PL
10 Novembro 2017

É preciso rejeitar a cultura do descarte e cuidar das pessoas que sofrem as desigualdades mais dolorosas

IT | EN | ES | PT
todas as notícias
• IMPRIMIR
16 Novembro 2017
oe24

"Möchte in keiner homogenen Gesellschaft leben"

15 Novembro 2017
RP ONLINE

Enkel des Mordopfers setzt auf Vergebung

7 Novembro 2017
Tagespost

Die Peripherie als Zielort der Kirche

15 Outubro 2017
Herder Korrespondenz

Sant'Egidio: Auf der Suche nach der Gemeinsamkeit

9 Outubro 2017
Domradio.de

Friede, Freude, Mittagessen

9 Outubro 2017
DIE WELT

Papst informiert sich bei Steinmeier über Bundestagswahl

todos os press releases
• EVENTOS
12 Setembro 2017

Oração ecuménica dos cristãos

MÜNSTER

St.-Paulus-Dom

MÜNSTER

Bischoefliches Priesterseminar Borromaeum - Aula

MÜNSTER

Messe und Congress Centrum Halle Muensterland

MÜNSTER

Rathaus Muenster - Rathausfestsaal

MÜNSTER

Bezirksregierung Muenster, Freiherr-vom-Stein-Saal

Todas as reuniões de oração pela paz
• PENA DE MORTE NO
10 Outubro 2017

On 15th World Day Against the Death Penalty let us visit the poorest convicts in Africa

7 Outubro 2015
UNITED STATES

The World Coalition Against the Death Penalty - XIII world day against the death penalty

5 Outubro 2015
EFE

Fallece un preso japonés tras pasar 43 años en el corredor de la muerte

24 Setembro 2015

Pope Francis calls on Congress to end the death penalty. "Every life is sacred", he said

12 Março 2015
Associated Press

Death penalty: a look at how some US states handle execution drug shortage

12 Março 2015
AFP

Arabie: trois hommes dont un Saoudien exécutés pour trafic de drogue

9 Março 2015
AFP

Peine de mort en Indonésie: la justice va étudier un appel des deux trafiquants australiens

9 Março 2015
AFP

Le Pakistan repousse de facto l'exécution du meurtrier d'un critique de la loi sur le blasphème

9 Março 2015
Reuters

Australia to restate opposition to death penalty as executions loom in Indonesia

28 Fevereiro 2015
UNITED STATES

13 Ways Of Looking At The Death Penalty

15 Fevereiro 2015

Archbishop Chaput applauds Penn. governor for halt to death penalty

11 Dezembro 2014
MADAGÁSCAR

C’est désormais officiel: Madagascar vient d’abolir la peine de mort!

ir para nenhuma pena de morte
• DOCUMENTOS

Adam Michnik

Adolfo Pérez Esquivel

Agostino Marchetto

Ahmad Muhammad Al-Tayyeb

Aisha Yousef Al-Menn'ai

Aldo Giordano

todos os documentos
• LIVROS

A Paz. Como Moçambique saiu da guerra





CIEDIMA

A Paz preventiva





CIDADE NOVA
todos os livros

VIDEO FOTOS
8:48
Benvinda Levi, Moçambique - VII Congress "A world without death penalty"
3:40:49
Reducir a mortalitade materna e fazer crescer as crianças sem SIDA
O vídeo da inauguração do programa "Bravo!" pela registação ao Registo Civil das crianças no Burkina Faso

163 visitas

161 visitas

160 visitas

153 visitas

157 visitas
todos os meios de comunicação relacionados