Riccardi Andrea: na web

Riccardi Andrea: em redes sociais

change language
você está em: home - oraÇÃo - a oração cada dia newsletterlink

Support the Community

  

A oração cada dia


 
versão para impressão

Ícone do Rosto do Senhor
Igreja de Santo Egídio
Roma


Leitura da Palavra de Deus

Aleluia aleluia, aleluia

Todo o que vive e crê em mim
não morrerá jamais.

Aleluia aleluia, aleluia

Cântico dos Cânticos 5,1-8

Entrei no meu jardim, minha irmã e minha esposa, colhi a minha mirra e o meu bálsamo, do meu favo de mel, bebi o meu vinho e o meu leite.
Comei, ó companheiros, bebei e embriagai-vos, ó bem amados!

Eu dormia, mas de coração desperto.
Chamam! É a voz do meu amado, batendo à porta: Ele Abre, minha irmã e amiga, pomba incomparável! Tenho a cabeça coberta de orvalho, e os meus cabelos, das gotas da noite.

Já despi a minha túnica.
Vou tornar-me a vestir? Já lavei os meus pés.
Vou sujá-los de novo?

Meu amado passou a sua mão pela fresta e as minhas entranhas estremeceram por ele. Levantei-me para abrir ao meu amado; as minhas mãos gotejavam mirra, os meus dedos eram mirra escorrendo nos trincos da fechadura. Fui abrir ao meu amado e o meu amado já tinha desaparecido. Fora de mim, corro atrás das suas palavras; procuro e não o encontro, chamo e não me responde. Encontram-me os guardas que fazem a ronda na cidade, espancam-me, ferem-me:
arrancam-me o véu que me cobre os guardas das muralhas.

Eu vos conjuro, mulheres de Jerusalém: se encontrardes o meu amado, sabeis o que dizer-lhe?
Que eu desfaleço de amor.

 

Aleluia aleluia, aleluia

Se tu creres verás a glória de Deus
diz o Senhor.

Aleluia aleluia, aleluia

O capítulo quinto começa com o amado que dá a entender à amada que é, precisamente ela, o seu jardim. Diz-lhe o noivo: "Já entrei no meu jardim... colhi a minha mirra e o meu bálsamo; comi o meu favo de mel, bebi o meu vinho e o meu leite". É o Senhor que Se alegra pelos frutos que o Seu povo, a Sua Igreja, Lhe podem oferecer. O apóstolo Paulo pede aos crentes para oferecerem a Deus sacrifícios espirituais que sejam do Seu agrado... Não se trata, no entanto, de pagamentos devidos a um patrão. É, antes de mais, uma comunhão de amor à qual somos todos convidados, como sugerem os dois versículos seguintes: "Comei e bebei, companheiros; embriagai-vos de amor". Podemos afirmar que o amor divino leva o próprio Deus a proclamá-lo para além de si mesmo. O amor que não se abre aos outros, morre; não pode viver em solidão, precisa sempre do amado. O autor sagrado sugere para responder logo, sem demoras. Caso contrário corre-se o risco de o perder. É o que acontece à mulher. Ela conta: "Eu dormia, mas o meu coração velava". E eis que, durante a noite, o noivo se aproxima e pede para lhe abrir a porta, pois lá fora está frio também para o noivo. O Senhor torna-Se mendigo de amor, do nosso amor. Faz-nos lembrar Jesus que escolhe os discípulos e que, no momento da angústia, como no Getsémani, pede para que fiquem com Ele, que velem ao Seu lado. Infelizmente, aqueles três deixaram-se surpreender pelo sono. E deixaram-n’O só, na Sua dor. O autor anota que a mulher ouve a voz do amado e que até sente estremecer as entranhas, mas a preguiça faz com que se atrase: "Já despi a túnica, e vou vesti-la de novo? Já lavei os meus pés, e vou sujá-los de novo?" O amado até tenta forçar a porta. A este ponto, ela levanta-se e vai abrir a porta. Mas já é tarde de mais. Já não há ninguém lá fora. Ficou apenas o perfume do amado que batia à sua porta. Começa, então, uma corrida frenética ao longo das ruas e das praças de uma cidade que se tornou hostil. Qualquer cidade sem amor torna-se hostil e perigosa. Com efeito, eis que aparecem alguns guardas que fazem a ronda. Perante uma mulher sozinha - e como não pensar nas muitas mulheres sozinhas, exploradas, violadas, embrutecidas pelo trabalho das cidades contemporâneas? - a reacção é brutal: seguem-na, despem-na, violam-na, ferem-na. Humilhada, a mulher não abandona a sua procura para reencontrar o amado. Lança então, um apelo às "filhas de Jerusalém" para que também elas se associem na procura do amado e se por ventura o encontrarem que lhe digam que ela "está doente de amor". Todo o crente precisa de irmãos e de irmãs que o acompanhem na procura do amado. Entre os momentos mais elevados desta companhia encontra-se o da oração comum que envolve na procura de Deus.


10/12/2011
Oração da vigília


Calendário da semana
DEZ
4
Domingo, 4 de Dezembro
Liturgia dominical
DEZ
5
Segunda-feira, 5 de Dezembro
Oração pelos doentes
DEZ
6
Terça-feira, 6 de Dezembro
Oração com Maria, Mãe do Senhor
DEZ
7
Quarta-feira, 7 de Dezembro
Oração com os santos
DEZ
8
Quinta-feira, 8 de Dezembro
Festa da Imaculada Conceição
DEZ
9
Sexta-feira, 9 de Dezembro
Oração da Santa Cruz
DEZ
10
Sábado, 10 de Dezembro
Oração da vigília
DEZ
11
Domingo, 11 de Dezembro
Liturgia dominical

Per Natale, regala il Natale! Aiutaci a preparare un vero pranzo in famiglia per i nostri amici più poveri