Riccardi Andrea: na web

Riccardi Andrea: em redes sociais

change language
você está em: home - oraÇÃo - a oração cada dia newsletterlink

Support the Community

  

A oração cada dia


 
versão para impressão

Ícone do Rosto do Senhor
Igreja de Santo Egídio
Roma


Leitura da Palavra de Deus

Aleluia aleluia, aleluia

Todo o que vive e crê em mim
não morrerá jamais.

Aleluia aleluia, aleluia

II Crônicas 6,21-42

Escuta as súplicas do teu servo
e de Israel, teu povo,
quando aqui vier orar neste lugar.
Escuta-as desde a tua morada celeste, escuta e perdoa!

Se alguém pecar contra o seu próximo
e, obrigado a pronunciar um juramento imprecatório,
vier jurar diante do teu altar, neste templo,

Tu, escuta-o desde o céu,
actua e faz justiça aos teus servos,
fazendo recair sobre o malvado
o peso da sua maldade,
e faz justiça ao inocente,
retribuindo-lhe de acordo com a sua inocência.

Se o teu povo Israel for subjugado pelos inimigos
por ter pecado contra ti,
e, arrependido, confessar o teu nome
e te pedir perdão neste templo,

Tu, escuta-o desde o céu,
perdoa o pecado do teu povo Israel,
reconduzindo-o ao país que lhe deste,
a ele e a seus pais.

Se o céu se fechar e não chover mais,
por eles terem pecado contra ti,
se orarem neste lugar,
prestando glória ao teu nome,
e arrependendo-se do seu pecado
por causa do teu castigo,

escuta-os, desde o céu,
perdoa o pecado dos teus servos
e do teu povo Israel.
Mostra-lhes o caminho recto que devem seguir,
envia chuva à terra que deste como herança ao teu povo.

Se vier a fome sobre o país,
a peste, a ferrugem, a mangra,
o gafanhoto e o pulgão,
ou se os inimigos cercarem as cidades do país,
ou se houver uma calamidade,
ou qualquer epidemia,

se um homem, ou todo o teu povo Israel
te dirigir uma súplica
e, reconhecendo a sua chaga dolorosa,
estender as mãos para este templo,

escuta-o desde o céu, da tua morada,
perdoa e concede a cada um o que ele merecer,
segundo o seu coração,
pois só Tu conheces o coração dos homens.

Assim te hão-de temer
e andarão nos teus caminhos
durante toda a vida,
no país que deste a nossos pais.

Se o estrangeiro, que não é do teu povo Israel,
vindo de um país longínquo,
atraído pela fama do teu nome
e pelo grande poder do teu braço,
vier rezar neste templo,

escuta-o também desde o céu onde habitas,
e concede-lhe tudo o que te pedir.
Todos os povos da terra,
conhecerão, então, o teu nome
e te temerão,
como o teu povo Israel,
cientes de que o teu nome é invocado
no templo que construí.

Quando o teu povo fizer guerra
contra os seus inimigos,
nos caminhos por onde o enviares,
e te invocar, voltado para a cidade que escolheste
e para o templo que construí em honra do teu nome,

escuta, desde o céu, as suas orações e súplicas
e faz-lhe justiça.

Poderá acontecer que pequem contra ti
- pois não há homens sem pecado - e, irado contra eles, os entregues aos inimigos
para os levarem cativos para uma terra estrangeira,
próxima ou longínqua;

se, na terra do seu exílio, arrependidos,
se voltarem para ti e suplicarem, dizendo:
‘Pecámos, cometemos a iniquidade, fizemos o mal’,

se se converterem a ti, de todo o seu coração
e de toda a sua alma, na terra do exílio
ou no lugar do seu cativeiro,
e te dirigirem a sua oração
voltados para a terra que deste a seus pais,
para a cidade da tua predilecção
e para este templo, que construí
em honra do teu nome,

escuta, desde o céu, onde habitas,
as suas preces suplicantes;
faz-lhes justiça e perdoa ao teu povo
os pecados cometidos contra ti.

Agora, pois, ó meu Deus,
que os teus olhos estejam abertos
e os teus ouvidos atentos
às preces feitas neste lugar!

Senhor Deus, vem, pois, habitar nesta morada,
Tu e a Arca onde reside o teu poder.
Senhor Deus,
que os teus sacerdotes se revistam de força salutar
e os teus santos gozem dos teus benefícios!

Senhor Deus,
não afastes o rosto do teu ungido;
lembra-te da fidelidade do teu servo David.»


 

Aleluia aleluia, aleluia

Se tu creres verás a glória de Deus
diz o Senhor.

Aleluia aleluia, aleluia

A oração de Salomão transforma-se, nesta página, numa longa "oração dos fiéis". O rei pede a Deus para escutar os israelitas e todos os que elevem do Templo a própria oração ao Céu. O Templo torna-se no lugar da presença de Deus. Mas não nos devemos esquecer que é o lugar da presença de Deus, principalmente devido à presença da Arca com as tábuas da Lei dadas a Moisés no Sinai. Portanto, não se trata apenas de um espaço sacralizado pelo homem, quanto de um espaço sacralizado pela presença de Deus. O espaço, definido e enriquecido pelos símbolos religiosos, possibilita a reunião da assembleia dos crentes para escutar o Senhor que fala. Na tradição bíblica é determinante a convocação do povo da parte de Deus e a disponibilidade em escutá-l’O. A iniciativa é de Deus. E é importante salientar que o espaço para a oração é benéfico também para a sociedade, para a cidade onde o espaço se encontra. Aqui, o Senhor reúne a Sua família não para que fique fechada em si mesma, mas para que seja fermento de fraternidade para toda a cidade. Deste modo, derrota-se de raiz o individualismo e a auto-referencialidade. O Templo é o lugar onde o Senhor reúne o Seu povo para lhe falar e fazê-lo crescer no amor. No Templo, podemos escutar e falar com Deus. É uma tradição que a comunidade cristã herdou e enriqueceu. Salomão pede ao Senhor que escute a oração do Seu povo: "Ouve as súplicas do teu servo e do teu povo Israel, quando rezarem neste lugar". E acrescenta: "Ouve e perdoa!". Há uma estreita relação entre escutar a oração e perdoar. Certo, a oração também é louvor, agradecimento e pedido de ajuda ao Senhor. No entanto, o crente nunca poderá exigir direitos ou pretender o que quer que seja. Também porque sabemos que somos pecadores. É por isso que Salomão pede ao Senhor que esteja pronto para o perdão como está para a escuta. Jesus esclarece isso muito bem com a parábola do fariseu e do publicano: o primeiro, de pé, vangloriava direitos enquanto que o segundo mantinha-se no fundo e batia no peito. Jesus conclui: "Este último voltou para casa justificado e o outro não, porque quem se eleva será humilhado e quem se humilha será elevado" (Lc 18, 14). Salomão, como que a querer exemplificar os momentos mais graves e mais imperiosos para a oração, indica as situações que devem levar o povo a reunir-se para invocar a ajuda de Deus: quando se cometerem injustiças, quando houver seca, derrotas, carestia, quando por causa dos pecados cometidos o mal se abater contra o povo. É o pedido de perdão e, consequentemente, do arrependimento do povo. A anotação sobre o estrangeiro mostra uma singular abertura universalista: também o estrangeiro, se for ao Templo e elevar a sua prece, é escutado. Salomão sabe que a oração é forte e eficaz porque o Deus de Israel é Aquele que guia a história dos homens. Certo, a oração deve ser feita com todo o coração e com a audácia da fé. Por isso pede: "Agora, meu Deus, que os teus olhos estejam abertos e os teus ouvidos fiquem atentos às súplicas que forem feitas neste lugar". Hoje, os lugares da oração são incontáveis e estão espalhados por todo o mundo: o Senhor não cessa de manter os olhos abertos e os ouvidos atentos ao grito de muitos e às orações dos Seus filhos.


20/10/2012
Oração da vigília


Calendário da semana
DEZ
4
Domingo, 4 de Dezembro
Liturgia dominical
DEZ
5
Segunda-feira, 5 de Dezembro
Oração pelos doentes
DEZ
6
Terça-feira, 6 de Dezembro
Oração com Maria, Mãe do Senhor
DEZ
7
Quarta-feira, 7 de Dezembro
Oração com os santos
DEZ
8
Quinta-feira, 8 de Dezembro
Festa da Imaculada Conceição
DEZ
9
Sexta-feira, 9 de Dezembro
Oração da Santa Cruz
DEZ
10
Sábado, 10 de Dezembro
Oração da vigília
DEZ
11
Domingo, 11 de Dezembro
Liturgia dominical

Per Natale, regala il Natale! Aiutaci a preparare un vero pranzo in famiglia per i nostri amici più poveri