Riccardi Andrea: na web

Riccardi Andrea: em redes sociais

change language
você está em: home - oraÇÃo - a oração cada dia newsletterlink

Support the Community

  

A oração cada dia


 
versão para impressão

Ícone do Rosto do Senhor
Igreja de Santo Egídio
Roma


Leitura da Palavra de Deus

Aleluia aleluia, aleluia

Eis o Evangelho dos pobres, a libertação dos prisioneiros,
a vista dos cegos, a libertação dos oprimidos

Aleluia aleluia, aleluia

Jeremias 25,1-14

Palavra que foi dirigida a Jeremias acerca de todo o povo de Judá, no quarto ano de Joaquim, filho de Josias, rei de Judá, que corresponde ao primeiro ano de Nabucodonosor, rei da Babilónia, quando o profeta Jeremias anunciou a todo o povo de Judá e a todos os habitantes de Jerusalém, dizendo: «Desde o ano décimo terceiro de Josias, filho de Amon, rei de Judá, até ao presente, num total de vinte e três anos, foi-me dirigida a palavra do Senhor e eu vo-la anunciei com assiduidade, mas vós não a escutastes. O Senhor enviou-vos continuamente os profetas, seus servos, mas vós não lhes prestastes atenção nem destes ouvidos. Ele dizia-vos: 'Deixai os vossos maus caminhos e as vossas más obras, e habitareis na terra que o Senhor vos deu a vós e a vossos pais, desde tempos antigos e para sempre. Não queirais ir atrás de outros deuses, para os servirdes e adorardes. Não provoqueis a minha ira para vossa própria desgraça, com a obra das vossas mãos. Mas vós não me ouvistes - oráculo do Senhor - de modo que provocastes a minha ira, com a obra das vossas mãos, para vossa própria desgraça.'» Pelo que, assim fala o Senhor do universo: 'Porque não ouvistes as minhas palavras, eis que vou convocar todas as tribos do Norte, assim como o meu servo Nabucodonosor, rei da Babilónia; fá-los-ei vir contra esta terra e seus habitantes, e contra todas as nações que a cercam - oráculo do Senhor. Destruí-los-ei e farei deles objecto de horror, de espanto e de vergonha eterna. Farei cessar, entre eles, os seus gritos de alegria e de júbilo, a voz do noivo e a voz da noiva, amortecerei o ruído da mó e a luz da lâmpada. Esta terra converter-se-á em deserto e desolação e, durante setenta anos, estas gentes servirão o rei da Babilónia. Decorridos esses setenta anos, castigarei o rei da Babilónia e os seus habitantes pelas suas culpas, assim como o país dos caldeus, que transformarei numa eterna solidão - oráculo do Senhor. Executarei sobre esta terra todas as ameaças que proferi contra ela e que estão escritas neste livro, tudo o que Jeremias profetizou contra as nações pagãs. Com efeito, estas serão, por sua vez, subjugadas por numerosas nações e poderosos reis: Eu lhes retribuirei conforme o seu merecimento e segundo as acções das suas mãos!'»

 

Aleluia aleluia, aleluia

O Filho do Homem veio para servir
quem quiser ser grande, faça-se servo de todos

Aleluia aleluia, aleluia

Jeremias realça que durante vinte e três anos o Senhor falou com ele e que ele, fielmente, referiu a Sua Palavra ao rei de Judá, o seu povo e a Jerusalém inteira, a capital do reino. Esta é a tarefa e a responsabilidade do profeta fiel ao Senhor: não esconder nem diminuir a Palavra do Senhor que é comunicada através da pregação. O profeta é o homem da Palavra. E Esta é a sua única arma com que agita os corações até à conversão. O profeta não é o homem de palavras que impressionam, mas o homem de palavras que transformam; a sua tarefa não é a de prever o futuro, mas a de fazer dar eco à Palavra divina no meio de um povo, muitas vezes esquecido dos bens recebidos e rebelde contra tudo o que não o favorece. O profeta, portanto, torna-se numa voz, num grito que faz estremecer o deserto das cidades e dirige-se a um povo demasiado habituado a escutar apenas as palavras de sucesso e de triunfos. Jeremias, como será João Baptista, é um verdadeiro profeta e não diz o que o povo quer ouvir, mas o que o Senhor quer que o povo saiba. Por isso, a liberdade interior do profeta é muito grande, porque ele deve proclamar uma Palavra que não é sua, mas de quem lh’A confiou, o Senhor. Jeremias diz que falou ao povo “constantemente” (v. 3). O profeta não se desvia da Palavra que deve proclamar. Está ciente da sua vocação de servidor da Palavra, anunciador incessante, tanto oportuna quanto inoportuna (cfr. 2Tm 4, 2). Ao profeta e ao apóstolo Deus entrega a Sua Palavra: Ela arde nos corações deles e eles não A podem reter apenas para si, devem comunicá-l’A apesar de muitos não A quererem ouvir. De qualquer modo, o projecto de Deus realizar-se-á: depois da longa prova a que será submetido o povo de Israel (setenta anos de deportação), regressará para a própria terra. A esperança no Senhor não fracassa. Haverá um novo início. Este será o Reino que Jesus anunciará e do qual somos, por graça, cidadãos: com efeito, participamos numa nova era para os pobres e os necessitados, a era em que o povo dos discípulos de Jesus se tornou também no lugar onde os pobres e os necessitados encontram descanso e repouso.


02/09/2013
Oração pelos doentes


Calendário da semana
JAN
15
Domingo, 15 de Janeiro
Liturgia dominical
JAN
16
Segunda-feira, 16 de Janeiro
Oração pela Paz
JAN
17
Terça-feira, 17 de Janeiro
Oração com Maria, Mãe do Senhor
JAN
18
Quarta-feira, 18 de Janeiro
Oração com os santos
JAN
19
Quinta-feira, 19 de Janeiro
Oração pela Igreja
JAN
20
Sexta-feira, 20 de Janeiro
Oração da Santa Cruz
JAN
21
Sábado, 21 de Janeiro
Oração da vigília
JAN
22
Domingo, 22 de Janeiro
Liturgia dominical