Riccardi Andrea: na web

Riccardi Andrea: em redes sociais

change language
você está em: home - oraÇÃo - a oração cada dia newsletterlink

Support the Community

  

A oração cada dia


 
versão para impressão

Ícone do Rosto do Senhor
Igreja de Santo Egídio
Roma


Leitura da Palavra de Deus

Aleluia aleluia, aleluia

Eu sou o Bom Pastor,
minha voz as ovelhas escutam,
E serão um só rebanho e um só Pastor.

Aleluia aleluia, aleluia

I Macabeus 15,25-41

O rei Antíoco apertou o cerco a Dor, construiu máquinas de guerra e cercou Trifon, de modo que ele não podia sair nem entrar. Por sua vez, Simão enviou dois mil homens escolhidos, a fim de combaterem ao lado dele, com prata, ouro e muitos equipamentos. Porém, o rei não quis aceitar nada, antes revogou todos os tratados feitos, ao princípio, com Simão e tornou-se-lhe hostil. Enviou-lhe Atenóbio, um dos seus amigos, para lhe comunicar o seguinte: «Ocupastes Jope e Guézer, cidades do meu reino, e também a cidadela de Jerusalém. Assolastes o território, devastastes o país e apoderastes-vos de numerosas localidades do meu reino. Portanto, ou me entregais as cidades que ocupastes e os tributos das regiões que conquistastes, fora das fronteiras da Judeia, ou então, em troca, pagareis quinhentos talentos de prata por aquelas cidades, e outros quinhentos talentos pelas perdas causadas e pelas rendas das cidades; de contrário, iremos combater contra vós.» Atenóbio, amigo do rei, chegou a Jerusalém, e vendo as honras prestadas a Simão, o serviço de mesa com taças de ouro e prata, a sua habitação faustosa, ficou maravilhado. Referiu a Simão as palavras do rei, e Simão respondeu: «Não foi uma terra estrangeira que conquistámos, nem uma propriedade que não fosse nossa, mas unicamente a herança dos nossos pais, injustamente usurpada durante algum tempo pelos nossos inimigos. Chegou a hora de reivindicarmos a herança dos nossos pais. Pelo que toca a Jope e a Guézer, que tu reclamas e que tanto mal fizeram ao nosso povo, devastando a nossa região, estamos dispostos a pagar cem talentos.» Atenóbio nada respondeu, mas voltou, furioso, para junto do rei, repetindo-lhe esta resposta e contando-lhe o fausto de Simão e tudo o que tinha visto, pelo que o rei se enfureceu sobremaneira. Por esse tempo, Trifon fugiu num navio para Ortosia. O rei nomeou então Cendebeu governador da costa marítima e entregou-lhe tropas de infantaria e de cavalaria, ordenando-lhe que marchasse contra a Judeia, reconstruísse Quédron, fortificasse os acessos à cidade e atacasse o povo judeu. Entretanto, o rei foi em perseguição de Trifon. Chegado a Jâmnia, Cendebeu começou a importunar o povo judeu, a lançar ataques à Judeia, fazendo grande número de prisioneiros e mortos. Construiu Quédron e colocou nela uma guarnição de infantaria e cavalaria, para fazer incursões pela Judeia, como lhe ordenara o rei.


 

Aleluia aleluia, aleluia

Eu vos dou um mandamento novo:
amai-vos uns aos outros!

Aleluia aleluia, aleluia

O autor retoma a narração do assédio de Dora por parte de Antíoco, no qual Simão participou enviando uma grande quantidade de homens e equipamentos. Como resposta, o rei enviou a Simão um seu emissário Atenóbio, para pedir a restituição das localidades conquistadas pelos Judeus ou, pelo menos, a indemnização: “Entregai as cidades que tomastes e também os impostos sobre os lugares que dominastes fora do território da Judeia. Caso contrário, dar-me-eis em troca dezassete toneladas de prata, e mais dezassete toneladas como indemnização por danos e prejuízos, e pelos impostos das cidades. Senão, faremos guerra contra vós” (30-31). Simão respondeu a Atenóbio justificando a posse dos territórios mencionados com base no facto que se tratava de terras pertencentes a Israel e que lhe foram subtraídas pelo inimigo. Apesar das exigências concretas da política selêucida, os Macabeus, como todos os verdadeiros javistas, nunca tinham concedido a posse da Terra Santa a povos estrangeiros. No entanto, Simão estava disposto a pagar uma indemnização por Jope e Gazara. Mas o rei ficou furioso quando o seu enviado regressou com esta resposta. Entretanto, Trifão tinha conseguido fugir ao cerco e conseguiu alcançar o porto de Ortosia, cidade da costa fenícia, a norte de Tripoli. Antíoco, irritado com a resposta de Simão, enquanto procurava Trifão que finalmente tinha localizado em Apameia onde o capturou e matou, encarregou Cendebeu, um funcionário da corte, da missão de superintender a região ao longo da costa fenícia e de estabelecer nela a base para atacar o povo Judeu. Com efeito, este começou a reorganizar a zona e a realizar ataques contra os Judeus: “Cendebeu acampou perto de Jâmnia e começou a provocar o povo, invadindo a Judeia, fazendo prisioneiros e matando. Reconstruiu Quedron e nela instalou a cavalaria e infantaria, para que fizessem incursões e patrulhas pelas estradas da Judeia, conforme o rei lhe tinha ordenado” (40-41). O capítulo acaba bruscamente, interrompendo a meio a narração que continua no capítulo seguinte. Mas torna-se cada vez mais claro a atenuação das motivações religiosas para a defesa do povo de Israel, enquanto que prevalecem aquelas mais ligadas à sede de poder que se tinham infiltrado entre as fileiras dos seguidores dos Macabeus.


28/11/2013
Oração pela Igreja


Calendário da semana
DEZ
4
Domingo, 4 de Dezembro
Liturgia dominical
DEZ
5
Segunda-feira, 5 de Dezembro
Oração pelos doentes
DEZ
6
Terça-feira, 6 de Dezembro
Oração com Maria, Mãe do Senhor
DEZ
7
Quarta-feira, 7 de Dezembro
Oração com os santos
DEZ
8
Quinta-feira, 8 de Dezembro
Festa da Imaculada Conceição
DEZ
9
Sexta-feira, 9 de Dezembro
Oração da Santa Cruz
DEZ
10
Sábado, 10 de Dezembro
Oração da vigília
DEZ
11
Domingo, 11 de Dezembro
Liturgia dominical

Per Natale, regala il Natale! Aiutaci a preparare un vero pranzo in famiglia per i nostri amici più poveri