Riccardi Andrea: na web

Riccardi Andrea: em redes sociais

change language
você está em: home - oraÇÃo - a oração cada dia newsletterlink

Support the Community

  

A oração cada dia


 
versão para impressão

Ícone do Rosto do Senhor
Igreja de Santo Egídio
Roma


Leitura da Palavra de Deus

Aleluia aleluia, aleluia

Eis o Evangelho dos pobres, a libertação dos prisioneiros,
a vista dos cegos, a libertação dos oprimidos

Aleluia aleluia, aleluia

São Lucas 1,57-66

Entretanto, chegou o dia em que Isabel devia dar à luz e teve um filho. Os seus vizinhos e parentes, sabendo que o Senhor manifestara nela a sua misericórdia, rejubilaram com ela. Ao oitavo dia, foram circuncidar o menino e queriam dar-lhe o nome do pai, Zacarias. Mas, tomando a palavra, a mãe disse: «Não; há-de chamar-se João.» Disseram-lhe: «Não há ninguém na tua família que tenha esse nome.» Então, por sinais, perguntaram ao pai como queria que ele se chamasse. Pedindo uma placa, o pai escreveu: «O seu nome é João.»
E todos se admiraram.

Imediatamente a sua boca abriu-se, a língua desprendeu-se-lhe e começou a falar, bendizendo a Deus.

O temor apoderou-se de todos os seus vizinhos, e por toda a montanha da Judeia se divulgaram aqueles factos.

Quantos os ouviam retinham-nos na memória e diziam para si próprios: «Quem virá a ser este menino?» Na verdade, a mão do Senhor estava com ele.

 

Aleluia aleluia, aleluia

O Filho do Homem veio para servir
quem quiser ser grande, faça-se servo de todos

Aleluia aleluia, aleluia

O Evangelho de hoje, como que a introduzir-nos no mistério do nascimento de Jesus, faz-nos contemplar um outro nascimento “milagroso”, gerado por Deus. É o de João Baptista, que em hebraico significa “favor de Deus”. Este profeta, que deveria reunir a inteira tradição profética do Antigo Testamento toda ela canalizada para o mistério de Jesus, nascia por intervenção do próprio Deus. O autor da Carta aos Hebreus sugere precisamente isso, quando escreve: “Nos tempos antigos, muitas vezes e de muitos modos, Deus falou aos antepassados por meio dos profetas, no período final em que estamos, falou-nos por meio do Filho” (Hb 1, 1-2). Podemos dizer que João Baptista é o último “favor de Deus”, o último dos profetas antes que o Senhor nos fale directamente com a Sua Palavra. O evangelista Lucas realça que o seu nascimento através da união entre Zacarias e Isabel é fruto da intervenção de Deus. Nenhum dos dois esperava já na possibilidade de ter um filho. E tinham-se resignado a esse destino. Mas Deus intervém. Zacarias, após um período de incredulidade, arrepende-se mal se apercebe do milagre daquele nascimento. E reconhece o carácter extraordinário daquele nascimento. E, cheio de alegria pelo que acontecera, reconhece que a Palavra de Deus é forte e eficaz. Tornou-se crente, isto é, acreditou que a Palavra de Deus – o anúncio que tinha recebido do anjo – era verdadeira. Também a sua língua se soltou, para além do seu coração e da sua mente. Deixou de ser mudo. Pode, pois, falar e expressar a sua alegria por este filho, fruto da força de Deus. O nascimento de João Baptista causa maravilha não só em casa de Zacarias, mas também entre os vizinhos, tal como acontece sempre que o Evangelho é escutado e posto em prática: os efeitos de amor provocados pelo Evangelho criam sempre um clima novo entre as pessoas. O Evangelho escutado com fé e proclamado com clareza transforma o coração do crente e daqueles que o circundam. É assim que o mundo pode mudar. A Palavra de Deus não só indica o caminho a percorrer mas abre-o e dá a força para o percorrer. Sabemos que nunca é um caminho banal, fruto do próprio protagonismo ou dos próprios instintos. É um caminho que nasce do alto e que deve ser acolhido no coração, como o fez Zacarias. É o caminho que conduz a Jesus, tal como o de João Baptista. O Natal pede que acolhamos Jesus nos nossos corações para que sejam transformados através deste nascimento. Só aquele que é transformado é que poderá, por sua vez, transformar. Bem conhecendo esta dinâmica da fé, um místico do século XVII, Silesius, dizia: “Nascesse Cristo mil vezes em Belém, mas não no teu coração, estarias perdido para sempre”.


23/12/2013
Oração pelos pobres


Calendário da semana
DEZ
4
Domingo, 4 de Dezembro
Liturgia dominical
DEZ
5
Segunda-feira, 5 de Dezembro
Oração pelos doentes
DEZ
6
Terça-feira, 6 de Dezembro
Oração com Maria, Mãe do Senhor
DEZ
7
Quarta-feira, 7 de Dezembro
Oração com os santos
DEZ
8
Quinta-feira, 8 de Dezembro
Festa da Imaculada Conceição
DEZ
9
Sexta-feira, 9 de Dezembro
Oração da Santa Cruz
DEZ
10
Sábado, 10 de Dezembro
Oração da vigília
DEZ
11
Domingo, 11 de Dezembro
Liturgia dominical

Per Natale, regala il Natale! Aiutaci a preparare un vero pranzo in famiglia per i nostri amici più poveri