Riccardi Andrea: na web

Riccardi Andrea: em redes sociais

change language
você está em: home - oraÇÃo - a oração cada dia newsletterlink

Support the Community

  

A oração cada dia


 
versão para impressão

Ícone do Rosto do Senhor
Igreja de Santo Egídio
Roma


Leitura da Palavra de Deus

Aleluia aleluia, aleluia

Eu sou o Bom Pastor,
minha voz as ovelhas escutam,
E serão um só rebanho e um só Pastor.

Aleluia aleluia, aleluia

São Mateus 16,13-23

Ao chegar à região de Cesareia de Filipe, Jesus fez a seguinte pergunta aos seus discípulos: «Quem dizem os homens que é o Filho do Homem?» Eles responderam: «Uns dizem que é João Baptista; outros, que é Elias; e outros, que é Jeremias ou algum dos profetas.» Perguntou-lhes de novo: «E vós, quem dizeis que Eu sou?» Tomando a palavra, Simão Pedro respondeu: «Tu és o Messias, o Filho de Deus vivo.» Jesus disse-lhe em resposta: «És feliz, Simão, filho de Jonas, porque não foi a carne nem o sangue que to revelou, mas o meu Pai que está no Céu. Também Eu te digo: Tu és Pedro, e sobre esta Pedra edificarei a minha Igreja, e as portas do Abismo nada poderão contra ela. Dar-te-ei as chaves do Reino do Céu; tudo o que ligares na terra ficará ligado no Céu e tudo o que desligares na terra será desligado no Céu.» Depois, ordenou aos discípulos que a ninguém dissessem que Ele era o Messias. A partir desse momento, Jesus Cristo começou a fazer ver aos seus discípulos que tinha de ir a Jerusalém e sofrer muito, da parte dos anciãos, dos sumos sacerdotes e dos doutores da Lei, ser morto e, ao terceiro dia, ressuscitar. Tomando-o de parte, Pedro começou a repreendê-lo, dizendo: «Deus te livre, Senhor! Isso nunca te há-de acontecer!» Ele, porém, voltando-se, disse a Pedro: «Afasta-te, Satanás! Tu és para mim um estorvo, porque os teus pensamentos não são os de Deus, mas os dos homens!»

 

Aleluia aleluia, aleluia

Eu vos dou um mandamento novo:
amai-vos uns aos outros!

Aleluia aleluia, aleluia

Quando o Evangelho escreve que os três se “ergueram” e depararam-se sozinhos com Jesus, significa que a Missa, de um certo modo, não basta. Se calhar, Jesus tinha a intenção de estar um pouco sozinho com os discípulos. Todas as comunidades têm necessidade de momentos como esse, não para uma intimidade vazia e falsa, mas para crescer no conhecimento e no amor do Senhor. E chegou a hora de Jesus perguntar aos discípulos sobre o que é que as pessoas diziam d’Ele. Sabia que era muito viva a espera do Messias, apesar de ser visto como um homem forte tanto politicamente quanto militarmente. Ele deveria libertar o povo de Israel da escravidão dos romanos. Na verdade, tratava-se de uma expectativa totalmente alheia à missão de Jesus mirada, pelo contrário, à libertação dos homens da escravidão do pecado e do mal. Os boatos sobre Jesus eram vários: na corte de Herodes alguém pensava que fosse João Baptista ressuscitado, outros pensavam que fosse Elias, enquanto que outros ainda diziam que fosse Jeremias que, segundo uma crença da época, deveria recuperar no monte Nebo a arca e os objectos sagrados escondidos no momento do exílio. Mas Jesus, depois de ter ouvido estas respostas, vai directo ao coração dos discípulos: “Mas vós, quem dizeis que Eu sou?” Jesus precisa que os discípulos estejam em sintonia com Ele, que partilhem com Ele os “mesmos sentimentos”, que conheçam a Sua verdadeira identidade. Pedro toma a palavra e, respondendo por todos, confessa a fé n’Ele como Messias. E recebe logo a bem-aventurança. Pedro e, com ele, aquele modesto grupo de discípulos, faz parte daqueles “pequeninos” a quem o Pai revela as coisas escondidas desde a criação do mundo. E Simão, homem como todos, feito de “carne e sangue”, no encontro com Jesus recebe uma nova vocação, uma nova tarefa, um novo compromisso: ser pedra, isto é, sustento para os outros, com o poder de ligar novas amizades e de desligar os muitos laços de escravidão que impedem de seguir o Evangelho. A resposta de Pedro, dada em nome de todos, conforta Jesus e permite-Lhe continuar em direcção daquela verdadeira intimidade que é a comunhão com Ele e com o Seu mistério. Jesus abre-lhes o Seu coração e revela-lhes o que O espera em Jerusalém: o Messias não é um poderoso, mas um fraco que até será morto. Pedro não entende o que Jesus está a dizer; até pensa que está a desatinar. E, levado pelo seu instinto e não certamente pela fé que pouco antes o tinha levado a falar, quer afastar Jesus da Sua missão e do caminho para Jerusalém. Na verdade, é ele quem ainda deve percorrer muita estrada no caminho da compreensão do Senhor, como de resto, todos nós. E Jesus diz-lhe: “Afasta-te de mim, Satanás!”, como que a dizer-lhe que deve recomeçar a seguir o Evangelho.


07/08/2014
Oração pela Igreja


Calendário da semana
DEZ
4
Domingo, 4 de Dezembro
Liturgia dominical
DEZ
5
Segunda-feira, 5 de Dezembro
Oração pelos doentes
DEZ
6
Terça-feira, 6 de Dezembro
Oração com Maria, Mãe do Senhor
DEZ
7
Quarta-feira, 7 de Dezembro
Oração com os santos
DEZ
8
Quinta-feira, 8 de Dezembro
Festa da Imaculada Conceição
DEZ
9
Sexta-feira, 9 de Dezembro
Oração da Santa Cruz
DEZ
10
Sábado, 10 de Dezembro
Oração da vigília
DEZ
11
Domingo, 11 de Dezembro
Liturgia dominical

Per Natale, regala il Natale! Aiutaci a preparare un vero pranzo in famiglia per i nostri amici più poveri