Riccardi Andrea: na web

Riccardi Andrea: em redes sociais

change language
você está em: home - oraÇÃo - a oração cada dia newsletterlink

Support the Community

  

A oração cada dia


 
versão para impressão

Ícone do Rosto do Senhor
Igreja de Santo Egídio
Roma

Oração pela unidade das Igrejas. Memória particular das comunidades cristãs em África.


Leitura da Palavra de Deus

Aleluia aleluia, aleluia

Eis o Evangelho dos pobres,
a libertação dos prisioneiros,
a vista dos cegos,
a libertação dos oprimidos

Aleluia aleluia, aleluia

Hebreus 8,6-13

Mas, de facto, ele obteve um ministério tanto mais elevado, quanto maior é a aliança de que é mediador, a qual foi estabelecida sobre melhores promessas. Se, na verdade, a primeira fosse perfeita, não haveria lugar para a segunda. De facto, censurando-os, diz:
Eis que vêm dias, diz o Senhor,
em que farei com a casa de Israel
e com a casa de Judá
uma aliança nova,

não como a aliança que fiz com os seus pais
no dia em que os tomei pela mão,
para os fazer sair do Egipto;
porque eles não permaneceram na minha aliança,
também Eu me desinteressei deles - diz o Senhor.

Esta é a aliança que estabelecerei com a casa de Israel,
depois daqueles dias.
Diz o Senhor:
Porei as minhas leis na sua mente
e as imprimirei nos seus corações;
serei o seu Deus e eles serão o meu povo.

Ninguém ensinará o seu próximo nem o seu irmão,
dizendo: ‘Conhece o Senhor’;
porque todos me conhecerão,
do mais pequeno ao maior,

pois perdoarei as suas iniquidades
e não mais me lembrarei dos seus pecados.

Ao falar de uma aliança nova, Deus declara antiquada a primeira; ora, o que se torna antiquado e envelhece está prestes a desaparecer.

 

Aleluia aleluia, aleluia

O Filho do Homem veio para servir
quem quiser ser grande, faça-se servo de todos

Aleluia aleluia, aleluia

Estamos dentro de uma nova aliança, da qual Nosso Senhor Jesus Se tornou mediador. Fala-se da aliança, muitas vezes, no Antigo Testamento: Deus oferece aos patriarcas e ao Seu povo Israel um pacto de amizade que O tornava único entre todos os povos, como recita o livro do Êxodo: “Portanto, se Me obedecerdes e observardes a minha aliança, sereis minha propriedade especial entre todos os povos... Vós sereis para Mim um reino de sacerdotes e uma nação santa” (19, 5-6). Esta promessa a Israel e ao povo hebraico não é anulada nem revogada, mas renovada definitivamente em Jesus, através do qual a aliança se estende a todos os povos. Isto é, todos nós podemos ter acesso a esta relação particular de Deus com a humanidade. Já ninguém fica excluído da amizade de Deus. João Paulo II quando falou aos hebreus, parafraseando São Paulo, referiu de uma “aliança nunca revogada”. É verdade, se bem que de uma maneira certamente misteriosa para nós, permanece entre Deus e Israel um relacionamento particular que não foi abolido pela aliança estabelecida em Jesus Cristo com toda a humanidade. É neste sentido que temos de ler a referência à aliança nova que se veio a cumprir na morte e ressurreição de Jesus. Ela ocorre sempre que se celebra a Eucaristia. O sacerdote pronuncia as mesmas palavras de Jesus: “Este é o cálice do Meu sangue, da nova e eterna aliança”. É verdade o que refere a Carta aos Hebreus, mas é preciso lê-la no âmbito da Bíblia e do magistério da Igreja, que depois do Concílio Vaticano II e com João Paulo II e Bento XVI releu de maneira nova o relacionamento judaico-cristão, sem aviltar a força e a novidade da salvação gerada pela morte e ressurreição do Senhor, mas incluindo-a no quadro da história da salvação. Também a Carta aos Hebreus conclui: a aliança “está prestes a desaparecer”, não que desapareceu. Esta proximidade tinha, para as primeiras comunidades cristãs, um sentido temporal de grande proximidade pela iminência do segundo e definitivo regresso de Cristo. Na verdade, a espera remete para o cumprimento definitivo, de que ninguém conhece os tempos e o momento. Acolhamos, pois, a novidade do Senhor Jesus como pedido de renovamento e de conversão, e não como situação exclusiva em que somos colocados.


23/01/2015
Oração da Santa Cruz


Calendário da semana
NOV
27
Domingo, 27 de Novembro
Liturgia dominical
NOV
28
Segunda-feira, 28 de Novembro
Oração pelos pobres
NOV
29
Terça-feira, 29 de Novembro
Oração com Maria, Mãe do Senhor
NOV
30
Quarta-feira, 30 de Novembro
Oração dos Apóstolos
DEZ
1
Quinta-feira, 1 de Dezembro
Oração pela Igreja
DEZ
2
Sexta-feira, 2 de Dezembro
Oração da Santa Cruz
DEZ
3
Sábado, 3 de Dezembro
Oração da vigília
DEZ
4
Domingo, 4 de Dezembro
Liturgia dominical