Riccardi Andrea: na web

Riccardi Andrea: em redes sociais

change language
você está em: home - oraÇÃo - a oração cada dia newsletterlink

Support the Community

  

A oração cada dia


 
versão para impressão

Ícone do Rosto do Senhor
Igreja de Santo Egídio
Roma

Memória da morte de Ghandhi. Com ele recordamos todos os que, em nome da não-violência, são operadores de paz.


Leitura da Palavra de Deus

Aleluia aleluia, aleluia

Eis o Evangelho dos pobres,
a libertação dos prisioneiros,
a vista dos cegos,
a libertação dos oprimidos

Aleluia aleluia, aleluia

Hebreus 10,32-39

Recordai os primeiros dias nos quais, depois de terdes sido iluminados, suportastes a grande luta dos sofrimentos, tanto sendo expostos publicamente a insultos e tribulações, como sendo solidários com os que assim eram tratados. Tomastes parte nos sofrimentos dos encarcerados, aceitastes com alegria a confiscação dos vossos bens, sabendo que possuís bens melhores e mais duradouros. Não percais, pois, a vossa confiança, à qual está reservada uma grande recompensa. Na realidade, tendes necessidade de perseverança, para que, tendo cumprido a vontade de Deus, alcanceis a promessa. Pois ainda um pouco, de facto, um pouco apenas, e o que há-de vir, virá e não tardará. O meu justo viverá pela fé, mas, se ele voltar atrás, a minha alma não encontrará nele satisfação. Nós, porém, não somos daqueles que voltam atrás para a perdição, mas homens de fé para a salvação da nossa alma.


 

Aleluia aleluia, aleluia

O Filho do Homem veio para servir
quem quiser ser grande, faça-se servo de todos

Aleluia aleluia, aleluia

Inicia a terceira parte da Carta aos Hebreus. O autor quer exortar os cristãos à constância e à perseverança na vida cristã. Era um momento particularmente difícil para as comunidades cristãs daquele tempo, aflitas por muitas dificuldades. Provavelmente houve alguma cedência ou o testemunho deles tinha-se esmorecido, talvez em prol de um cristianismo vivido de uma forma mais individualista e, portanto, menos significativo, menos profético. O autor recorda a esses cristãos o fervor que tinham no tempo em que se converteram, quando enfrentavam com coragem qualquer sacrifício para testemunharem o Evangelho: não só não recuavam perante as dificuldades e os perigos, mas enfrentavam-nos juntos “com alegria”. O autor recorda aos cristãos quando estavam “expostos publicamente a insultos e tribulações” e viviam uma profunda solidariedade entre si: “participastes no sofrimento dos prisioneiros e aceitastes com alegria ser despojados dos próprios bens”. A razão desta coragem estava na convicção “de possuir bens melhores e mais duráveis”. Infelizmente, o fervor do início - o Apocalipse diria: o entusiasmo do “primeiro amor” (Ap 2, 4) – esfriou-se e subentraram uma atitude preguiçosa em seguir o Evangelho e um espírito resignado perante as dificuldades encontradas. É uma cedência que também nós conhecemos bem, apesar de não vivermos em situações assim tão adversas como os cristãos daquele tempo. Não é difícil deixarmo-nos vencer pela preguiça e pela resignação, típicos de uma cultura egocêntrica e consumista, que minam por dentro a profecia do Evangelho. Os cristãos correm, assim, o risco de perderem a esperança e qualquer visão e, consequentemente, de não se empenharem por um mundo novo, mais solidário e menos violento. O autor exorta-nos a redescobrir a virtude da constância, isto é, a perseverar em seguir o Evangelho e a não abandonar a “parrésia”, aquela confiança em Deus que representa a verdadeira força do crente e que lhe permite manter-se firme mesmo num mundo adverso ao Evangelho e aos que O seguem. A preguiça e o cansaço correm o risco de nos fechar no presente e de atenuar a espera da vinda do Senhor. Sem espera, desaparece a esperança e a luta por um mundo melhor. Sem espera, atenua-se a necessidade de rezar e de nos empenharmos, enquanto se cede com facilidade ao individualismo e à mentalidade do nosso mundo.


30/01/2015
Oração da Santa Cruz


Calendário da semana
DEZ
4
Domingo, 4 de Dezembro
Liturgia dominical
DEZ
5
Segunda-feira, 5 de Dezembro
Oração pelos doentes
DEZ
6
Terça-feira, 6 de Dezembro
Oração com Maria, Mãe do Senhor
DEZ
7
Quarta-feira, 7 de Dezembro
Oração com os santos
DEZ
8
Quinta-feira, 8 de Dezembro
Festa da Imaculada Conceição
DEZ
9
Sexta-feira, 9 de Dezembro
Oração da Santa Cruz
DEZ
10
Sábado, 10 de Dezembro
Oração da vigília
DEZ
11
Domingo, 11 de Dezembro
Liturgia dominical

Per Natale, regala il Natale! Aiutaci a preparare un vero pranzo in famiglia per i nostri amici più poveri