Riccardi Andrea: na web

Riccardi Andrea: em redes sociais

change language
você está em: home - oraÇÃo - a oração cada dia newsletterlink

Support the Community

  

A oração cada dia


 
versão para impressão

Ícone do Rosto do Senhor
Igreja de Santo Egídio
Roma


Leitura da Palavra de Deus

Aleluia aleluia, aleluia

Eu sou o Bom Pastor,
minha voz as ovelhas escutam,
E serão um só rebanho e um só Pastor.

Aleluia aleluia, aleluia

II Coríntios 11,1-11

Oxalá pudésseis suportar um pouco de insensatez da minha parte! Mas, de certo, ma suportareis. Sinto por vós um ciúme semelhante ao ciúme de Deus, pois vos desposei com um único esposo, Cristo, a quem devo apresentar-vos como virgem pura. Mas receio que, como a serpente seduziu Eva com a sua astúcia, os vossos pensamentos se deixem corromper, desviando-se da simplicidade que é devida a Cristo. Pois de boamente aceitais alguém que surge a pregar-vos outro Jesus diferente daquele que nós pregámos, ou acolheis um espírito diferente daquele que recebestes, ou um Evangelho diverso daquele que abraçastes. Ora, eu penso que em nada sou inferior a esses superapóstolos. E embora seja menos perito na palavra, não o sou, certamente, na ciência. Em tudo e de todas as maneiras vo-lo temos demonstrado. Porventura cometi alguma falta, ao humilhar-me para vos exaltar, quando vos anunciei gratuitamente o Evangelho de Deus? Despojei outras igrejas, recebendo delas o sustento para vos servir, e encontrando-me necessitado no meio de vós, não fui pesado a ninguém, pois os irmãos vindos da Macedónia é que proveram às minhas necessidades. Em tudo me guardei de vos ser molesto e continuarei a fazê-lo. Pela verdade de Cristo que está em mim, não me será tirado este motivo de glória nas regiões da Acaia. E porquê? Porque não vos amo? Deus o sabe!

 

Aleluia aleluia, aleluia

Eu vos dou um mandamento novo:
amai-vos uns aos outros!

Aleluia aleluia, aleluia

Aqueles “super-apóstolos” que queriam desacreditar Paulo e a sua missão, eram provavelmente alguns judeo-cristãos que se apresentavam com tons resolutos afirmando-se intérpretes da mensagem originária da comunidade de Jerusalém. E, além disso, difamavam a falta de eloquência de Paulo. Na sua defesa, o apóstolo protesta, antes de mais, o seu amor pelos Coríntios. Por eles, sente um amor tão apaixonado que parecia ser ciumento. Com a imagem da Comunidade como esposa de Cristo, o apóstolo apresenta-se como o pai que vela sobre ela e guarda-a para apresentá-la, imaculada, ao esposo. É uma maneira eficaz para exprimir a intensidade com que sente a sua responsabilidade pastoral. Ele vigia atentamente porque vê repetir-se a dramática cena que ocorreu no paraíso terrestre quando Eva se deixou tentar pela serpente. E, com efeito, houve quem se deixasse seduzir pela serpente, por estes “super-apóstolos”, como Paulo ironicamente chama os seus opositores, que pregam outro Evangelho em vez d’Aquele proclamado por ele. A surpresa dolorosa do apóstolo é que a comunidade os tenha suportado: “Vós o suportais de bom grado!” (v. 4). Talvez fossem mais eloquentes a falar do que Paulo. Mas o apóstolo responde imediatamente: “Ainda que eu não seja hábil no falar, eu sou-o no saber” (v. 6). A ele, de facto, como escreverá aos Romanos, foi “revelado um mistério que estava envolvido no silêncio desde os tempos eternos” (Rm 16, 25). E, de qualquer modo, o apóstolo não acreditava nos discursos dialécticos. O seu objectivo era o de tocar o coração dos ouvintes para os ganhar para Cristo. E este ganho era a sua verdadeira satisfação, a única coisa que desejava. Por isso não quis nenhuma compensação por parte dos Coríntios. Recebia a ajuda de outras comunidades: “Despojei outras Igrejas, recebendo delas o necessário para viver, a fim de vos servir”. Geralmente os apóstolos e os missionários itinerantes eram mantidos pela comunidade. E também Paulo conhecia essa regra mas, na verdade, nunca quis desfrutar dela. Pelo contrário, foi para ele não só um orgulho e uma força a gratuidade da pregação do Evangelho em Corinto; mas também foi, um sinal de atenção e de amor para com aquela comunidade. Nas palavras do apóstolo palpita o grande amor pelo Evangelho e por aquela comunidade para a qual se tinha doado com tanta energia. E, com total gratuidade, para mostrar um amor plenamente paterno. E escreve que não mudará em nada o seu comportamento, tão forte é o seu amor. Este amor apaixonado do apóstolo é uma chamada a todos nós, para que renovemos o nosso amor pelo Evangelho, para que a Igreja, a comunidade, estejam em cima de todas as nossas preocupações. É um tesouro precioso que recebemos gratuitamente: amemo-l’O, saboreemos a Sua beleza e gratuitamente ofereçamo-l’O a todos os que d’Ele necessitam.


18/06/2015
Oração pela Igreja


Calendário da semana
DEZ
4
Domingo, 4 de Dezembro
Liturgia dominical
DEZ
5
Segunda-feira, 5 de Dezembro
Oração pelos doentes
DEZ
6
Terça-feira, 6 de Dezembro
Oração com Maria, Mãe do Senhor
DEZ
7
Quarta-feira, 7 de Dezembro
Oração com os santos
DEZ
8
Quinta-feira, 8 de Dezembro
Festa da Imaculada Conceição
DEZ
9
Sexta-feira, 9 de Dezembro
Oração da Santa Cruz
DEZ
10
Sábado, 10 de Dezembro
Oração da vigília
DEZ
11
Domingo, 11 de Dezembro
Liturgia dominical

Per Natale, regala il Natale! Aiutaci a preparare un vero pranzo in famiglia per i nostri amici più poveri