Riccardi Andrea: na web

Riccardi Andrea: em redes sociais

change language
você está em: home - oraÇÃo - a oração cada dia newsletterlink

Support the Community

  

A oração cada dia


 
versão para impressão

Ícone do Rosto do Senhor
Igreja de Santo Egídio
Roma

Memória da conversão de Paulo no caminho para Damasco. Memória também de Ananias que baptizou Paulo, pregou o Evangelho e morreu mártir. Hoje conclui-se a Semana de oração pela unidade dos cristãos. Oração pela unidade das Igrejas. Memória particular das comunidades cristãs da Ásia e da Oceânia.


Leitura da Palavra de Deus

Aleluia aleluia, aleluia

Se morrermos com Ele, com Ele viveremos;
se perseverarmos com Ele, com Ele reinaremos.

Aleluia aleluia, aleluia

Actos dos Apóstolos 9,1-9

Saulo, entretanto, respirando sempre ameaças e mortes contra os discípulos do Senhor, foi ter com o Sumo Sacerdote e pediu-lhe cartas para as sinagogas de Damasco, a fim de que, se encontrasse homens e mulheres que fossem desta Via, os trouxesse algemados para Jerusalém. Estava a caminho e já próximo de Damasco, quando se viu subitamente envolvido por uma intensa luz vinda do Céu. Caindo por terra, ouviu uma voz que lhe dizia: «Saulo, Saulo, porque me persegues?» Ele perguntou: «Quem és Tu, Senhor?» Respondeu: «Eu sou Jesus, a quem tu persegues. Ergue-te, entra na cidade e dir-te-ão o que tens a fazer.» Os seus companheiros de viagem tinham-se detido, emudecidos, ouvindo a voz, mas sem verem ninguém. Saulo ergueu-se do chão, mas, embora tivesse os olhos abertos, não via nada. Foi necessário levá-lo pela mão e, assim, entrou em Damasco, onde passou três dias sem ver, sem comer nem beber.

 

Aleluia aleluia, aleluia

Se morrermos com Ele, com Ele viveremos;
se perseverarmos com Ele, com Ele reinaremos.

Aleluia aleluia, aleluia

Hoje, a Igreja recorda a conversão de Saulo de Tarso, um evento que marcou de maneira única a história cristã. Com as cartas do Sumo-Sacerdote, Saulo perseguia os cristãos de Damasco com o máximo rigor. Enquanto se aproxima da cidade, repentinamente é envolto num feixe de luz; encandeado, cai do cavalo e ouve uma voz que repete o seu nome duas vezes: "Saulo, Saulo". Não vê nada, ouve apenas uma voz que chama por ele. Ser chamado pelo nome: em certos momentos é uma experiência decisiva e inesquecível. Saulo, transtornado, pergunta: "Quem és Tu, Senhor?" A resposta: "Eu sou Jesus, a quem tu persegues". Não sabemos qual foi o primeiro pensamento de Paulo; certamente veio-lhe à cabeça que não se persegue um morto; evidentemente Jesus estava vivo. Levanta-se, mas não vê nada; conduzido pelos companheiros, atónitos pelo que tinha acontecido, vai para Damasco tal como a voz de Jesus lhe tinha ordenado. O que sucedeu a Paulo? Não se tratou, como normalmente se pensa, de uma "conversão" de uma religião para a outra: o grupo de cristãos ainda estava no âmbito do hebraísmo e não se pensava nem se falava, absolutamente, de uma outra religião. Para Paulo foi um evento muito mais profundo que o transformou radicalmente; foi um verdadeiro renascimento. Por isso, a queda do cavalo de Paulo é um daqueles factos emblemáticos que questionam a história de todos os homens; quase que a dizer, se não caímos, se não "tocamos o chão", dificilmente compreenderemos o que significa viver. Infelizmente, cada um de nós, está habituado a acreditar em si mesmo, a insistir sobre o próprio ego. Não só não caímos no chão, como nem sequer olhamos para o chão, isto é, para o sofrimento dos outros. Na verdade, cada um de nós é um pobre homem, uma pobre mulher. Só quando reconhecemos a nossa pequenez é que podemos retomar o caminho da sabedoria. Com efeito, o orgulho leva à ruína, ao recontro, à violência; a humildade, pelo contrário, regenera, torna-nos mais compreensivos, mais solidários, mais humanos. A queda de Paulo é um sinal para todos, tanto para quem acredita, quanto para quem não acredita, porque torna-nos, de qualquer modo, mais humanos. E, portanto, disponíveis para a salvação. Paulo, caindo do próprio ego, acolhe o Evangelho e torna-se num homem universal. A sua pregação ultrapassou não só os confins étnicos hebraicos, mas qualquer outro confim. As palavras de Jesus ressuscitado aos Onze: "Ide pelo mundo inteiro e anunciai a Boa Notícia a toda a humanidade" tornaram-se, para Paulo, a essência da sua missão. "Ai de mim, se eu não anunciar o Evangelho", escreve aos Coríntios. E encaminhou-se até aos confins da Terra. E, em todo o lado, a sua pregação era confirmada por prodígios e se apanhava, como em Malta, alguma serpente, nada lhe acontecia. Paulo pede ainda hoje a cada um de nós para reavivar a primazia da evangelização na vida das comunidades cristãs.


25/01/2016
Oração dos Apóstolos


Calendário da semana
DEZ
4
Domingo, 4 de Dezembro
Liturgia dominical
DEZ
5
Segunda-feira, 5 de Dezembro
Oração pelos doentes
DEZ
6
Terça-feira, 6 de Dezembro
Oração com Maria, Mãe do Senhor
DEZ
7
Quarta-feira, 7 de Dezembro
Oração com os santos
DEZ
8
Quinta-feira, 8 de Dezembro
Festa da Imaculada Conceição
DEZ
9
Sexta-feira, 9 de Dezembro
Oração da Santa Cruz
DEZ
10
Sábado, 10 de Dezembro
Oração da vigília
DEZ
11
Domingo, 11 de Dezembro
Liturgia dominical

Per Natale, regala il Natale! Aiutaci a preparare un vero pranzo in famiglia per i nostri amici più poveri