news

A Polónia é fria, mas não indiferente

27 Janeiro 2016 - WARSZAWA, POLÔNIA

PolandHomeless

A Polónia continua na onda de frio com temperaturas que tocaram em alguns locais 20° abaixo de zero. Por causa do frio extremo morreram em poucos dias mais de 50 pessoas. Em perigo as vidas de tantas pessoas sem-abrigo, para os quais carecem habitações e abrigos para se aquecerem.

Compartilhe Em

De acordo com as estimativas mais otimistas, vivem em Varsóvia mais de 1.000 pessoas desabrigadas: muitos mais do que os alojamentos temporários oferecidos pelo município e outras associações. A Comunidade de Sant'Egidio distribui a cada quinta-feira jantar e bebidas quentes a 150 pessoas em dois locais do centro da cidade. Além disso, especialmente nestes dias de frio, várias vezes por semana, visita dezenas de pessoas nas áreas mais remotas e isoladas: florestas, parques, casas em ruínas.

Depois do almoço de Natal, que acolheu 400 pobres numa mesa arrumada por quase 500 voluntários, realizou-se uma recolha de cobertores, agasalhos e sapatos, mas também uma campanha para a compra de fogões que encontrou muitos apoiantes no social. Entre eles o conhecido jornalista Szymon Holownia, que escreveu no seu blog: "dei uma volta de Varsóvia com a Comunidade de Sant'Egidio. Eu conheci Edek e Dorota, que durante anos viveram numa tenda perto do aeroporto e agora receberam pelos amigos de Sant'Egidio um contentor. Há um fogão, a cozinha, uma cama ... mas acima de tudo o que há Edek, que aqueles de Sant'Egidio, literalmente puxaram para fora da prisão. Ele ficara preso por uma velha história, que já tinha enfrentado. E garanto-vos, se todos os maridos cuidassem desta forma a sua esposa não existiria casamentos infelizes". Convitando a ajudar os desabrigados Holownia escreveu que "em Sant'Egidio cai a distância entre quem ajuda e que é ajudado e as relações de amizade, sempre que possível, são iguais. Os sem-abrigo, em troca da ajuda, oferecem orações e palavras sábias, de fato libras e libras de sentido na vida".

Graças aos muitos artigos e de serviòos na televisão sobre o almoço de Natal e a atividade de Sant'Egidio, os sem-abrigo se tornaram menos invisíveis e cada vez mais pessoas decidem comprometer-se em seu auxílio. Outro blogueiro, popular entre os jovens, depois de assistir ao almoço de Natal apelou no facebook: "Ajudemos os sem-abrigo! Não imaginem o quanto podemos receber em troca".