news

Apelo de Sant’Egidio no Malawi depois do linchamento de 4 idosos acusados de feitiçaria

1 Fevereiro 2016 - MALAWI

ELDERLYMalawi

“Não tem futuro uma sociedade que mata, descrimina, isola os idosos”.

Compartilhe Em

A 26 de Janeiro em Neno, no Malawi, foram mortos num linchamento 4 idosos acusados de feitiçariaem relação à morte de uma jovem de 17 anos atingida por um relampago. Episódios semelhantes, infelizmente, são cada vez mais frequentes não apenas no Malawi mas também em outros países africanos. Os idosos são muitas vezes acusados de feitiçaria, tornando-se assim alvos de violência e linchamentos.

A Comunidade de Sant’Egidio no Malawi tomou posição contra este trágico episódio difundindo um apelo no qual, para alèm de denunciar a violência que muitas vezes afeta os idosos, convida as instituições e toda a sociedade civil a mobilizar-se na sua defesa e a empenhar-se para construir uma sociedade que proteja e acolha as pessoas mais vulneráveis.
"Não tem futuro uma sociedade que mata, descrimina, isola os idosos", encontra-se escrito no apelo.

A Comunidade de Sant’Egidio, presente em todos os distritos do país, está há muitos anos empenhada no serviço aos idosos, oferecendo-lhes assistência e vivendo com eles uma amizade feita de partilha, sustento e favorecendo o encontro com as gerações mais jovens.
Em 2010, a Comunidade organizou em
Lilongwe o primeiro Congresso Internacional sobre a condição dos Idosos em África com o Titulo “Ageing in Africa: Sensitizing the Nations”, do qual surgiu a necessidade de desenvolver um modelo de sociedade inclusivo de forma a valorizar a vida dos Idosos e a superar o Isolamento e a condição de marginalidade em que muitas vezes vivem.
 
O Apelo da Comunidade de Sant’Egidio no Malawi
 
A Comunidade de Sant’Egidio condena firmemente e inequivocamente os homicídios atrozes de 4 idosos acusados de feitiçaria em Neno. Os idosos foram acusados de ter provocado a morte de uma jovem de 17 anos atingida por um relâmpago. Uma conduta tão barbara revela uma falta de consciência da nossa sociedade e é um sinal claro da falta de respeito pela vida humana.
 Enquanto pedimos que a aplicação da leis e que a justiça cumpram o seu dever, pedimos a todos o Malawienses que examinem a aproximação para com os mais vulneráveis. Se por um lado estamos todos chocados com o assassinato destes idosos, pensamos ao mesmo tempo que é necessário fazer mais para proteger a geração dos idosos. Como disse Papa Francisco, por ocasião da sua visita à Comunidade de Sant’Egidio em 2014 “o tratamento dos idosos, como o das crianças, é um indicador da qualidade de uma sociedade”.
Verdadeiramente os idosos são uma ponte entre o passado e o presente e transmitem-nos a sabedoria para enfrentar o futuro. Assim, uma sociedade que mata, discrimina, isola e maltrata a população idosa perde o seu futuro e morre extinguindo-se com o desaparecimento da sua história.
Fazemos um apelo aos chefes de Família (‘Enimumba’), aos chefes das aldeias, aos lideres das igrejas, à sociedade civil, às autoridades publicas e privadas, aos políticos e a todos o Malawienses de boa vontade para que se parta em defesa dos idosos e se previnam incidentes semelhantes. Condenar a barbárie de ações semelhantes não é suficiente, mais que isso devemos desenvolver uma cultura de proteção para com os idosos e todas as pessoas mais frágeis da nossa sociedade. Este é o nosso apelo para construir uma estrada de civismo.
Por fim, pedimos a todos os cidadãos que combatam os linchamentos e que façam ouvir a própria vós em favor dos idosos para prevenir o derramamento de sangue de inocentes. Lutemos todos  a favor da justiça e contra qualquer forma de linchamento. E sobretudo devemos todos ter a consciência que não há justiça sem vida.