news

A aliança do Papa para uma nova Europa

7 Maio 2016

Andrea RiccardiEuropePope Francis

Num tempo de etnonacionalismos, Francisco propôs "coalizões", não político-militares, mas "culturais, educacionais, filosóficas, religiosas," para o nosso continente e para a paz.

Compartilhe Em

No cenário solene da Sala Régia do Vaticano (onde são pintadas memórias de tempos de violência religiosa como os massacres dos huguenotes na noite de São Bartolomeu), Francisco recebeu o prestigioso Prémio Carlos Magno. O papa não gosta de prémios. Mas teve a oportunidade de falar à Europa e "desejar juntos um impulso novo e corajoso." Juntamente com quem? A presença de líderes europeus era vasta, para além de Merkel e Renzi.

No discurso papal (mais longo do que o habitual) dois pontos claros: juntos e relançar. A cerimônia mostrou um ''aliança" para uma Europoa mais ampla e profunda. A dinâmica embaixadora alemã  Schavan, amiga da Chanceler, e o  influente Cardeal Kasper trabalharam para um evento sem precedentes: o renascimento da Europa pelo Papa argentino (que também falou como Europeu). Num momento de etnonacionalismos, Francisco... (continue a ler)