news

Em Moçambique, as "melhores práticas" de Sant'Egidio contra o Covid-19: aumento significativo na produção de máscaras e educação sanitária nas periferias

21 Abril 2020 - MOÇAMBIQUE

Africacoronavirus

Compartilhe Em

A disseminação do vírus Covid-19 na África suscita grande preocupação, também devido à dificuldade de encontrar dispositivos de segurança. Por esse motivo, os centros de Sant'Egidio estão equipados para produzir máscaras em grandes quantidades e distribuí-las especialmente às pessoas mais vulneráveis.

Em Moçambique
desde a chegada do Covid 19, houve uma falta significativa de máscaras protectoras, frequentemente também para o pessoal da saúde. Sant’Egidio foi pioneiro, activou-se imediatamente, já há um mês que as máscaras de tecido são produzidas e distribuídas.

Na Matola, as pessoas trabalham intensamente nas instalações do Centro Nutricional, onde activistas do DREAM e os Jovens pela Paz juntaram os esforços para produzir o maior número possível de máscaras para os doentes de DREAM, as crianças de rua e os idosos. O mesmo acontece na Beira, Nampula, Quelimane. Muito em breve a notícia espalhou-se e muitos pedidos de máscaras chegam à Comunidade todos os dias.

As autoridades de saúde da Matola também pediram a colaboração de Sant'Egidio para aprender como produzi-las para os seus funcionários e para os hospitais vizinhos. Todos os dias, algumas novas visitas se junta aos voluntários da Sant'Egidio para "estudar" os métodos seguros para produzir máscaras de qualidade para se defender contra o vírus. Graças à generosidade de algumas empresas que doaram materiais e outras máquinas de costura, agora é possível aumentar a produção e proteger muitas pessoas, principalmente as mais pobres.

Na Beira, até alguns dias atrás, havia uma produção de 150 máscaras por dia. Mas, graças à doação de máquinas de costura, a produção está a aumentar e a expectativa é de atingir 1.500 máscaras por dia (assista ao vídeo) .

Uma vez produzidas, a máscaras são distribuídas. Nas imagens, vemos alguns dos lugares onde elas chegam: dos idosos a quem Sant'Egidio reconstruiu a casa após o ciclone Idai, ano centro de "Bravo!", onde são entregues às mães que vêm registar os seus filhos, às crianças de rua, às leprosarias  (a próxima onde a distribuição ocorrerá é a de Nacopa, perto de Nampula).

A distribuição também é um momento importante para ensinar a todos quer como usá-las correctamente quer as outras precauções a serem tomadas para evitar o contágio.

Nas últimas semanas, Sant'Egidio está a dedicar um esforço significativo para aumentar a conscientização sobre as medidas de defesa contra o vírus, especialmente nas periferias.

Esta é uma operação cultural importante: é necessário mudar hábitos, estilos de vida, combater notícias falsas que circulam perigosamente e muitas vezes também crenças ancestrais e introduzir conhecimentos científicos básicos para apoiar a luta para proteger a vida de muitos.



Em Moçambique, as
Em Moçambique, as
Em Moçambique, as
Em Moçambique, as