news

A casa como lugar principal de cuidados: possível com telemedicina e cuidados domiciliários. A experiência da Comunidade de Sant'Egidio de Itália até à África

17 Fevereiro 2021

ELDERLYcohousing

Compartilhe Em

Co-habitação, casas-família, telemedicina, há muitas soluções já experimentadas pelo mundo da solidariedade para mudar a forma de cuidar dos idosos, das pessoas com deficiência e de outros sujeitos frágeis.

A "casa como lugar  principal de cuidados" é possível, como alternativa à hospitalização em instalações e cuidados de longa duração. Na experiência da Comunidade de Sant'Egidio este paradigma traduz-se em co-habitação Co-housing), onde pessoas idosas em dificuldades económicas decidem ir viver juntas, para partilharem os custos de aluguer, serviços e cuidados, mas também para superar a solidão. É uma nova vida, na qual os amigos da Comunidade participam, apoiando nas tarefas diárias e contribuindo para o sucesso da solução habitacional, na qual mesmo os mais velhos descobrem uma certa facilidade em mudar hábitos para redescobrir o prazer de viver na companhia de outros sob o mesmo tecto.

casas-família e co-housing

O apelo internacional " Sem idosos não há futuro" para um sistema de cuidados de saúde não selectivo

A telemedicina também ajuda a manter os idosos nas suas próprias casas: as pessoas são frequentemente motivadas a permanecer numa instalação por receio de precisarem da visita de um médico em qualquer altura, mesmo que precisem de visitas de especialistas. A telemedicina, um serviço activado pela Comunidade em Março de 2020 no início da pandemia, vem em socorro. É um telefone de solidariedade (06.8992299, activo todos os dias das 9h às 13h e das 15h às 19h, também aos domingos), ao qual é possível dirigir perguntas, pedidos, relacionados com problemas de saúde, para patologias diferentes do coronavírus. O telefone é o resultado de um concurso de solidariedade: cerca de 200 médicos especialistas ofereceram-se para ajudar e o serviço está a expandir-se de Roma para toda a Itália. A activação desta rede foi rápida, graças à experiência da telemedicina desenvolvida em anos de trabalho do programa DREAM de Sant’Egidio que trata dezenas de milhares de pacientes em África. Em África e Itália, a tecnologia juntamente com a solidariedade preenche as lacunas e as distâncias para garantir cuidados de qualidade para todos.

Informação sobre a telemedicina