news

A má nutrição infantil e o impacto da COVID-19: o compromisso de DREAM

21 Julho 2021

Dream
AfricachildrenHealth

Compartilhe Em

logo header

Desde a sua criação em 2002, DREAM Sant'Egidio tem sido um programa de combate ao VIH/SIDA e à má nutrição, ao mesmo tempo.


Hoje, pela primeira vez sem distinção, a pandemia da COVID-19 confrontou cada nação, cada população e cada governo com a necessidade imediata de abordar a mesma emergência sanitária como prioridade máxima, concentrando inicialmente todos os esforços, políticos, sociais e económicos, neste objectivo.

Um facto preocupante emerge das estimativas conjuntas da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA), do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), do Programa Mundial de Alimentação ( PMA) e da Organização Mundial de Saúde (OMS) publicadas aqui : em 2020, houve um agravamento dramático da situação mundial da fome devido em grande parte às consequências da pandemia de Covid-19.

O Estado da Segurança Alimentar e Nutrição no Mundo 2021 (SOFI), resume a primeira avaliação global da insegurança alimentar e da má nutrição para 2020 e oferece algumas indicações de como será a fome e a má nutrição em 2030.

Quase um décimo da população mundial - até 811 milhões de pessoas - passou fome em 2020.  Após ter permanecido praticamente inalterado durante cinco anos, a fome mundial aumentou no ano passado.

O relatório indica que foram feitos progressos em algumas formas de má nutrição, mas o mundo não está no bom caminho para cumprir quaisquer objectivos nutricionais globais até 2030.

No último ano, a COVID-19 e as medidas sem precedentes para a conter expuseram e intensificaram as vulnerabilidades e insuficiências dos sistemas alimentares globais.

Ser malnutrido amplifica o efeito de qualquer doença, incluindo o
VIH na medida em que existe uma sobreposição entre as regiões afectadas pelo VIH e as afectadas pela má nutrição. Esta coincidência é mais evidente na África Subsaariana, onde a deficiência nutricional e a insegurança alimentar são uma realidade diária. O VIH/SIDA e a crise alimentar combinam-se para formar um círculo vicioso: a má nutrição baixa as defesas imunitárias e aumenta o risco e a gravidade das infecções. É evidente que uma boa nutrição não cura o VIH/SIDA, mas é uma ajuda terapêutica essencial e complementar às terapias anti-retrovirais.

Nestes 20 anos de actividade, DREAM tem gasto muita energia a combater a
má nutrição infantil. A combinação de alimentos e terapia deu resultados extraordinários e salvou a vida de muitas pessoas.

Tudo isto nos dá a força para continuar neste caminho: não temos a intenção de desligar os refletores sobre esta realidade, pelo contrário, estamos mais motivados do que nunca, conscientes de que o nosso compromisso é de importância fundamental nos países onde operamos, especialmente neste tempo de crise pandémica
.