news

Agricultura social das "Hortas solidárias" em Civitavecchia para pessoas que sofrem de perturbações mentais: da inclusão ao emprego

7 Agosto 2021 - CIVITAVECCHIA, ITÁLIA

People with disabilities
Italy

Compartilhe Em

Através da agricultura social, envolvendo pessoas com problemas psíquicos, o projecto "Orti solidali" (Hortas solidárias), concebido pela Comunidade de Sant'Egidio, está a transformar a zona verde de Villa Albani em Civitavecchia, combinando ambiente, solidariedade e cultura.

A iniciativa de Sant'Egidio em Civitavecchia está em parceria com a Região do Lácio, graças ao anúncio "Comunità solidali" (Comunidades Solidárias); o ASL 4 (Departamento de Saúde Mental e Serviço de Dependência) de Roma, que propõe a inclusão de novas pessoas, incluindo os jovens; o Município, que fornece os espaços; a quinta "Tenuta del Gattopuzzo", que fornece formação e tutoria; e movimentos, associações e paróquias envolvidas na remodelação e eventos culturais.

A agricultura social permite aumentar a auto-estima das pessoas que vivem com a fragilidade das perturbações mentais e o desconforto social: também elas sentem que estão a contribuir para a regeneração urbana da zona - os primeiros resultados são muito apreciados pelos jovens que estudam no parque, pelas crianças e pelos idosos. Cuidar do bem comum dá substância à reflexão da Igreja sobre a encíclica "Laudato si" e permite que a área verde do parque da cidade se torne um ponto de encontro na cidade, um local para concertos, apresentações de livros e eventos.
Alguns dos protagonistas do projecto são hóspedes das co-habitações protegidas que Sant'Egidio tem vindo a criar desde há alguns anos para fornecer abrigo, cuidados e assistência a pessoas frágeis, para superar a lógica da institucionalização, com vista à autonomia e inclusão, através da "co-habitação" assistida.
O projecto levará em breve à criação de uma cooperativa para fornecer trabalho a pessoas com perturbações mentais, que produzirão conservas e outros produtos dos jardins, para os quais têm vindo a aprender a cuidar desde Abril.

Entre os benefícios deste projecto de agricultura social, que combina ambiente e solidariedade, está a incorporação de outros valores humanos. No parque, dois lugares são dedicados à memória. O primeiro é o roseiral dedicado às crianças de Bullenhuser Damm, tiradas de Birkenau, submetidas a experiências médicas atrozes e mortas. Um pequeno olival com vinte árvores tornar-se-á um Jardim dos Justos, incluído na lista de Gariwo (Jardins dos Justos no Mundo): os Justos são aqueles homens e mulheres que salvaram vidas durante genocídios e defenderam a dignidade humana durante o totalitarismo.

As " Hortas Solidárias" oferecem a esperança concreta de que este projecto de agricultura social e solidária seja capaz de envolver muitas pessoas ao longo do tempo, dando frutos em termos de terapia, reabilitação e trabalho. O projecto pretende também servir de modelo para a recuperação e regeneração urbana de áreas verdes em Civitavecchia.



Agricultura social das
Agricultura social das
Agricultura social das