news

Na ilha de Lesbos, juntamente com os migrantes, a oração "Morrer de esperança". Fotogallery

17 Agosto 2021 - PREFEITURA DE LESBOS, GRÉCIA

#santegidiosummerLesbos
refugeesRefugeesGreece

Compartilhe Em

Todos os anos a Comunidade de Sant'Egidio, juntamente com as Igrejas e associações locais, organiza em muitos lugares da Europa a oração "Morrer de Esperança" em memória das mais de 59.000 pessoas que morreram no Mar Mediterrâneo ou em outras rotas de imigração para a Europa desde 1990.

Uma tendência dramática, que se agravou no último ano: desde Junho de 2020, 4071 pessoas perderam a vida no mar, numa tentativa de chegar ao nosso continente. A 17 de Agosto, também se reza em Lesbos, em Mytilene, para recordar as migrações passadas e presentes, a Grande Catástrofe e os fluxos de refugiados de hoje. Lesbos, embora pequeno, já foi no passado e continua a ser um símbolo crucial na Europa do desafio de um novo começo e de uma nova vida para muitos refugiados.
A necessidade de encontrar formas concretas de promover iniciativas de solidariedade e fortalecer os laços espirituais entre Igrejas e países que enfrentam desafios semelhantes levou as Metrópoles de Mytilene, Eressos e Plomari e a Comunidade de Sant'Egidio a assinar um Protocolo de Cooperação em 2020. A mesma Comunidade tem reforçado os programas de ajuda na ilha desde 2019. A oração de hoje, organizada com a Arquidiocese Ortodoxa de Lesbos e presidida pelo Metropolita Iakovos, terá lugar às 12h00 na Promenade do Norte - Epàno Skala - Estátua da Mãe da Ásia Menor "Mikrasiatisa Mana", um lugar significativo que recorda, as mães refugiadas, que corajosamente atravessaram as águas para recomeçar as suas vidas, depois de deixarem as suas casas na Ásia Menor, e o enorme número de vítimas, cuja memória está escrita na história e está no coração da Grécia moderna.

Durante a cerimónia ao ar livre, alguns dos nomes dos desaparecidos serão lembrados. A Comunidade de Sant'Egidio está presente na ilha de Lesbos desde 2019 com os seus voluntários (são mais de 250 durante todo o Verão de 2021), na sua maioria jovens, provenientes de vários países europeus: Portugal, Polónia, Espanha, Países Baixos, Itália, Bélgica, Hungria e Alemanha. Vieram à sua própria custa para passar as suas férias com os refugiados na ilha e para apoiar a comunidade grega nos seus esforços de acolhimento e assistência aos que chegam por mar. Estão aqui para oferecer solidariedade e amizade através da entrega de alimentos, educação e actividades para crianças e famílias. Sant'Egidio, em acordo com os governos italiano, francês e belga, activou também o Programa dos Corredores Humanitários, que permite a transferência legal de refugiados e requerentes de asilo para os Estados Membros da UE.

Neste contexto, 3700 pessoas vulneráveis já foram deslocadas do Líbano e da Etiópia. Desde Setembro de 2020, em acordo com a Comissão Europeia e os governos grego e italiano, 100 requerentes de asilo chegaram até à Itália dentro do mesmo quadro. Os Corredores Humanitários são uma iniciativa auto-financiada para a integração dos requerentes de asilo, baseada no patrocínio de igrejas e da sociedade civil.