news

Em Cuba, a Comunidade no tempo da pandemia é uma amiga dos idosos

6 Setembro 2021 - SANTIAGO DE CUBA, CUBA

CubaCovid-19

Compartilhe Em

"Na pandemia, a Comunidade floresceu", são as palavras de Isabel, uma mulher de 80 anos que faz parte do movimento "Viva os Idosos" em Santiago de Cuba.

Uma Comunidade de Sant'Egidio vive nesta bela cidade, situada em frente ao mar, a segunda mais populosa, no sudeste da ilha, a cerca de 900 km da capital.
A cidade recebeu importantes influências europeias, espanholas mas também francesas e italianas, que deixaram vestígios na sua cultura e arquitectura.
Ao mesmo tempo, era a porta de entrada para os escravos africanos utilizados na colheita e refinação de açúcar de cana (é por isso que é a cidade mais "negra", ou seja, com a maior densidade de pessoas do continente africano).
Aqui Sant'Egidio criou o programa "Viva os Idosos". Em vários bairros - Maceo, Cicharrones, Flores e Martí - os jovens de Sant'Egidio estão a fazer a diferença e a conseguir devolver a muitas pessoas a esperança para o futuro. Autoridades locais e académicos também colaboram no programa, tanto que a Faculdade de Medicina criou a Cátedra "Viva os Idosos", que permite aos estudantes realizar um estágio no acompanhamento de mais de 200 pessoas idosas que vivem sozinhas.
No tempo da pandemia, respeitando as restrições necessárias e o recolher obrigatório das 13 horas, a Comunidade intensificou as suas actividades. Mesmo as orações e reuniões em pequenos grupos nunca pararam. Alguns jovens, através do seu encontro com a Comunidade, vieram a conhecer o Evangelho. E houve uma celebração em torno de alguns jovens que, após uma catequese com a Comunidade, receberam o baptismo do Padre Frederic Comalat, que veio especificamente da Havana.
 



Em Cuba, a Comunidade no tempo da pandemia é uma amiga dos idosos
Em Cuba, a Comunidade no tempo da pandemia é uma amiga dos idosos
Em Cuba, a Comunidade no tempo da pandemia é uma amiga dos idosos
Em Cuba, a Comunidade no tempo da pandemia é uma amiga dos idosos