Dominique Green

Compartilhe Em

Dominique Green, Um jovem afro-americano, condenado à morte, foi morto numa prisão do Texas por injecção letal no dia 27 de Outubro de 2004. Tornou-se amigo da comunidade através de uma relação de correspondência: a sua amizade com ele marcou o início em 1995 do'compromisso de Sant'Egidio com a abolição da pena capital e a correspondência com milhares de prisioneiros.
No aniversário de 27 de Outubro, todas as Comunidades de Sant'Egidio recordam Dominique e todos os que se encontram no corredor da morte para que a pena capital possa em breve ser abolida em todo o mundo.

 

A história de Dominique Green

Dominique é um jovem afro-americano de 30 anos quando recebe uma injecção letal numa prisão do Texas. Foi condenado à morte quando tinha acabado de completar 18 anos, acusado de homicídio durante um roubo. Preso violentamente e sujeito a interrogatório sem poder ver um advogado, foi submetido a um julgamento injusto.
Foi defendido por um advogado nomeado pelo tribunal, que demorou além do prazo de recepção, ao apresentar documentos que podiam ser utilizados na sua defesa. Acontece frequentemente àqueles que são pobres como ele que não podem suportar o custo de uma defesa adequada.
A sua é uma história difícil. Nascido numa família pobre, os seus pais separaram-se e a sua mãe sofria de perturbações mentais. Dominique cresceu nos subúrbios de Houston, onde vivem os mais pobres, negros e hispânicos.
No seu julgamento em Agosto de 1993, foi condenado à morte, sem qualquer prova real contra ele. Desde então, Dominique tem estado no corredor da morte em Ellis One Unit em Huntsville, Texas. Das suas cartas, aprendemos o que é crescer na prisão à espera do dia da execução. Dominique falou-nos das intensas amizades que tem feito no corredor da morte ao longo dos anos. Contou-nos como outros reclusos mais velhos do corredor da morte o ensinaram a lidar com os seus momentos mais desesperados e assustadores e como ele próprio se tornou um ponto de apoio e referência para outros na mesma situação.
Por vezes o sofrimento torna-se intolerável, como quando alguém que é teu amigo é executado. A pessoa condenada é levada pelos guardas e nunca mais regressará. Aprende-se a viver com medo.
Conhecemos Dominique em resposta a uma carta que ele escreveu num jornal italiano.Da primeira carta publicada lembramo-nos de algumas palavras:" .... Sou um prisioneiro no corredor da morte ... Preciso de alguém que me queira ajudar. Pensei que poderia ajudar-me a encontrar alguém que tivesse tempo para me escrever ou ajudar-me, porque ultimamente não sabia realmente como pedir ajuda ou amizade.... A solidão deste lugar começa a ter um efeito sobre mim, também porque me apercebi que posso acabar por morrer aqui por algo que não cometi..." e ainda "... no corredor da morte há pessoas boas e inteligentes, mas muitas delas nunca tiveram qualquer hipótese na vida: olhem para mim, a minha vida estava apenas a começar e acabou por causa de uma mentira. Porquê?"...
Dominique tenta dar sentido à sua vida: muitas vezes nas longas e solitárias horas que passa na sua cela, escreve poesias ou desenha. A sua dor emerge claramente dos seus poemas, dos seus desenhos e das suas cartas: "...aqui aprendo a tornar-me um homem, eu que fiquei preso dentro das paredes desta prisão quando eu era rapaz".

 

Uma poesia de Dominique Green

 Encontrei uma mão amiga
Um ombro forte para se apoiar
Um sorriso gentil para me animar
Uma boa amizade de que se pode depender

Por vezes tenho medo que ela possa dissolver
Embora esteja sempre nos meus pensamentos
À medida que passo os meus dias
Preso nas escuridão

Levaram mais um
Um amigo que nunca mais vou ver
Estou fraco, estou a enlouquecer
O que é que posso fazer?

Demasiadas coisas numa cadeia correm mal
Demasiadas para as contar
Não aguento mais
... e você?

Dominique Green, 9 de Fevereiro de 1996
da prisão do distrito de Harris - Hudston

 

Vídeo
Em Roma, um parque dedicado a Dominique Green, vítima da pena de morte
Por ocasião do Dia Internacional das Cidades pela Vida - Cidades contra a Pena de Morte “No Justice without life” (2007)

Dominique Green
Dominique Green
Dominique Green