Oração com os santos

Compartilhe Em


Leitura da Palavra de Deus

Aleluia aleluia, aleluia

Vós sois uma geração escolhida
um sacerdócio real, uma nação santa,
povo resgatado por Deus
para proclamar as suas maravilhas.

Aleluia aleluia, aleluia

São Mateus 13, 44-46

«O Reino do Céu é semelhante a um tesouro escondido num campo, que um homem encontra. Volta a escondê-lo e, cheio de alegria, vai, vende tudo o que possui e compra o campo. O Reino do Céu é também semelhante a um negociante que busca boas pérolas. Tendo encontrado uma pérola de grande valor, vende tudo quanto possui e compra a pérola.»

 

Aleluia aleluia, aleluia

Vós sereis santos,
porque Eu sou santo, diz o Senhor.

Aleluia aleluia, aleluia

Com estas duas parábolas, Jesus deseja realçar o modo como o crente se deve comportar perante a oportunidade de conquistar o Reino do Céu. Jesus descreve esse modo de se comportar através da decisão que o agricultor, primeiro, e o negociante, depois, tomam de vender tudo o que têm para apostar na compra do tesouro que descobriram. Nos dois casos repete-se a mesma frase: o agricultor "vende todos os seus bens e compra aquele campo", e o negociante "compra" a pérola. É o cerne da pregação de Jesus. Ele veio para a Terra para inaugurar, precisamente, o Reino de Deus, um reino de misericórdia, de amor, de paz, de fraternidade. A mensagem evangélica é claríssima: Jesus diz-nos que nada tem valor em comparação com o Reino de Deus. Para o conquistar podemos deixar tudo. E trata-se de uma escolha inteligente para além de salvífica. Um discípulo de São Filipe Néri, Cesare Baronio, comentando estas duas parábolas, recorria a uma imagem eficaz: é preciso ser-se "homens de negócio" não "ociosos" para conquistar o Reino do Céu. Muitas vezes pensamos que o Evangelho imponha uma renúncia, um sacrifício pesado. Na verdade, é o contrário: a escolha do Reino de Deus significa acolher o Evangelho, escutá-l'O e pô-l'O em prática. Trata-se de participar no projecto de Deus sobre o mundo e, portanto, numa obra de transformação do mundo para que seja mais fraterno, mais justo, mais misericordioso. Tudo isso requer o abandono de qualquer forma de egocentrismo e de fecho. A escolha de seguir Jesus é a escolha do Reino onde recebemos a plenitude da vida e da alegria.