Oração pela Igreja

Compartilhe Em

Memória de São Pier Damiani (( 1072). Fiel à sua vocação monástica, amou toda a Igreja e despendeu toda a sua vida para a reformar. Recordação dos monges em qualquer parte do mundo.


Leitura da Palavra de Deus

Aleluia aleluia, aleluia

Eu sou o Bom Pastor,
minha voz as ovelhas escutam,
E serão um só rebanho e um só Pastor.

Aleluia aleluia, aleluia

Gênesis 9,1-13

Deus abençoou Noé e os seus filhos, e disse-lhes: «Sede fecundos, multiplicai-vos e enchei a terra. Sereis temidos e respeitados por todos os animais da terra, por todas as aves do céu, por tudo quanto rasteja sobre a terra e por todos os peixes do mar; ponho-os à vossa disposição. Tudo o que se move e tem vida servir-vos-á de alimento; dou-vos tudo isso como já vos tinha dado as plantas verdes. Porém, não comereis a carne com a sua vida, o sangue. Ficai também a saber que pedirei contas do vosso sangue a todos os animais, por causa das vossas vidas; e ao homem, igualmente, pedirei contas da vida do homem, seu irmão.

A quem derramar o sangue do homem,
pela mão do homem será derramado o seu,
porque Deus fez o homem à sua imagem.

Quanto a vós, sede fecundos e multiplicai-vos;
espalhai-vos pela Terra
e multiplicai-vos sobre ela.»

A seguir, Deus disse a Noé e a seus filhos:

«Vou estabelecer a minha aliança convosco, com a vossa descendência futura e com os demais seres vivos que vos rodeiam: as aves, os animais domésticos, todos os animais selvagens que estão convosco, todos aqueles que saíram da arca.

Estabeleço convosco esta aliança: não mais criatura alguma será exterminada pelas águas do dilúvio e não haverá jamais outro dilúvio para destruir a Terra.»

E Deus acrescentou: «Este é o sinal da aliança que faço convosco, com todos os seres vivos que vos rodeiam e com as demais gerações futuras: coloquei o meu arco nas nuvens, para que seja o sinal da aliança entre mim e a Terra.

 

Aleluia aleluia, aleluia

Eu vos dou um mandamento novo:
amai-vos uns aos outros!

Aleluia aleluia, aleluia

O trecho do Génesis conclui a narração do dilúvio. Deus realiza três acções e deixa um sinal da Sua presença na Criação: abençoa, repudia a violência, estabelece a aliança, deixa como sinal o arco no Céu. A bênção de Deus indica a vontade do Senhor de viver em comunhão com os homens. Ela é vida e fecundidade. Se o homem a acolhe, vive, se não a acolhe, cai na "maldição" que é, precisamente, a recusa da oferta de vida do Senhor. Por isso é que a vida deve ser preservada e protegida a todo o custo da violência que a quer eliminar. Recordemos sempre que o dilúvio é a consequência de uma terra "cheia de violência", como podemos ler no sexto capítulo: "Para Mim, chegou o fim de todos os tempos, porque a terra está cheia de violência" (6, 13). Era assim que sucedia desde o início, desde que Caim matou Abel comprometendo toda a história humana e a possibilidade de se viver juntos. A motivação profunda da recusa da violência por parte de Deus recorda a origem do ser humano: "Deus criou o homem à sua imagem". Daqui a nova aliança que o Senhor estabelece com Noé. Deus compromete-Se com um pacto de amor com todos os seres vivos. Todos são postos sob a Sua protecção, sob as asas do Seu amor que deseja a vida de todos. No Antigo Testamento o Senhor renova várias vezes a Sua aliança, porque os homens e o Seu povo fazem-na malograr várias vezes. Ela expressa a fidelidade de Deus e a vontade de nos oferecer a Sua amizade. E, por fim, o sinal deste pacto: o que nós chamamos arco-íris. Na realidade, o hebraico, refere-se a "um arco nas nuvens". O texto utiliza a mesma palavra "arco", símbolo de guerra. Deus transforma a história de violência em história de paz. Eis o sinal desta vontade e deste sonho de Deus pela vida do mundo.