Oração com Maria, Mãe do Senhor

Compartilhe Em

Memoria de Santa Madre Teresa de Calcutá, morta em 1997.


Leitura da Palavra de Deus

Aleluia aleluia, aleluia

O Espírito Santo virá sobre ti
Aquele que nascer de ti será santo.

Aleluia aleluia, aleluia

Actos dos Apóstolos 8,9-25

Encontrava-se na cidade um homem chamado Simão, que praticava a magia e assombrava o povo de Samaria, dizendo ser ele próprio algo de grande. Do mais pequeno ao maior, todos acreditavam nele. «Este homem, diziam, é a Força de Deus, chamada a grande.» Acreditavam nele porque, havia bastante tempo, tinham-se deixado entusiasmar pelas suas habilidades mágicas. Mas, quando acreditaram em Filipe, que lhes anunciava a Boa-Nova do Reino de Deus e do nome de Jesus Cristo, homens e mulheres começaram a receber o baptismo. O próprio Simão também acreditou e, depois de baptizado, andava sempre com Filipe; e, ao ver os grandes milagres e portentos que ele fazia, ficava assombrado. Quando os Apóstolos, que estavam em Jerusalém, tiveram conhecimento de que a Samaria recebera a palavra de Deus, enviaram para lá Pedro e João. Estes desceram até lá e oraram pelos samaritanos para eles receberem o Espírito Santo. Na verdade, não descera ainda sobre nenhum deles, pois tinham apenas recebido o baptismo em nome do Senhor Jesus. Pedro e João iam, então, impondo as mãos sobre eles, e recebiam o Espírito Santo. Ao ver que o Espírito Santo era dado pela imposição das mãos dos Apóstolos, Simão ofereceu-lhes dinheiro, dizendo: «Dai-me também a mim esse poder, para que aquele a quem eu impuser as mãos receba o Espírito Santo.» Mas Pedro replicou: «Vá contigo o teu dinheiro para a perdição, pois julgaste comprar o Dom de Deus com dinheiro. Neste assunto, não tens parte, nem herança, pois o teu coração não é recto diante de Deus. Arrepende-te, portanto, da tua má intenção e roga ao Senhor que te perdoe - se for possível - o projecto do teu coração. Vejo-te, efectivamente, a transbordar de fel e nos laços da iniquidade.» Simão respondeu: «Intercedei vós mesmos por mim junto do Senhor, para que não me aconteça nada do que acabais de dizer.» Quanto aos Apóstolos, depois de terem dado o seu testemunho e
anunciado a palavra do Senhor, regressaram a Jerusalém, proclamando a Boa-Nova a muitas aldeias da Samaria.

 

Aleluia aleluia, aleluia

Eis, Senhor, os vossos servos:
Faça-se em nós segundo a vossa palavra

Aleluia aleluia, aleluia

Havia, na capital da Samaria, um mago de nome Simão, que via que o seu trabalho estava a ser assediado pela acção de Filipe que atraía muita gente. No entanto, também ficou fascinado ao ponto de chegar a pedir que fosse baptizado. E começou a frequentar assiduamente Filipe pensando assim de lhe poder roubar os segredos para depois se poder servir deles a seu prazer e, sobretudo, para seu proveito. Mas o Evangelho não pode servir os próprios interesses, por mais nobres que sejam e, muito menos, pode ser utilizado a favor do próprio protagonismo. Simão, o mago, pensava que o Evangelho, mais do que uma dádiva que deve ser acolhida com disponibilidade, podia ser comprado e possuído para perseguir o próprio interesse. Apresentou-se por isso a Pedro, que foi a Samaria com João para visitar e confirmar aquela prometedora comunidade, dizendo-lhe que lhe pagaria o que ele quisesse para ele ter também o mesmo poder. Pedro indignou-se e disse-lhe severamente: “Que tu pereças juntamente com o teu dinheiro”. O amor do Senhor não se compra, é gratuito, e assim a Sua força e o Seu poder. A compra e venda não têm nenhum espaço no campo da fé e do amor. Esta página dos Actos, numa sociedade como a nossa, onde os relacionamentos são caracterizados pelo dar e pelo haver, mostra claramente como a gratuidade do Evangelho seja um tesouro impagável; também porque é destinado a todos, em particular aos pobres que, por sua vez, nunca o poderiam comprar. Todos nós podemos acolher a dádiva do Evangelho e saboreá-l’O. É a nossa salvação e a do mundo.