Oração da Santa Cruz

Compartilhe Em

Memória de Santo Ambrósio (†397) bispo de Milão. Pastor do seu povo, defensor dos pobres e dos humildes contra todo o tipo de abuso, foi firme ao defender a Igreja perante a arrogância do imperador.


Leitura da Palavra de Deus

Aleluia aleluia, aleluia

Eis o Evangelho dos pobres,
a libertação dos prisioneiros,
a vista dos cegos,
a libertação dos oprimidos

Aleluia aleluia, aleluia

Isaías 29,17-24

Dentro de muito pouco tempo,
o Líbano converter-se-á em pomar,
e o pomar será como uma floresta.

Nesse dia, os surdos ouvirão as palavras do livro,
e, livres da obscuridade e das trevas,
os olhos dos cegos verão.

Os oprimidos voltarão a alegrar-se no Senhor,
e os pobres exultarão no Santo de Israel.

Foi eliminado o tirano e desapareceu o cínico,
e todos os que buscam a iniquidade serão exterminados:

os que acusam de crime os inocentes,
os que procuram enganar o juiz,
os que por uma coisa de nada condenam os outros.

Por isso, o Senhor fala aos descendentes de Jacob
- Ele que resgatou Abraão:
«Daqui em diante, Jacob
não será mais envergonhado,
o seu rosto não mais ficará corado.

Quando os seus filhos virem o que Eu fiz por eles,
bendirão o meu nome,
bendirão o Santo de Jacob
e temerão o Deus de Israel.

Os espíritos desencaminhados compreenderão,
e os que protestavam, aprenderão a lição.»


 

Aleluia aleluia, aleluia

O Filho do Homem veio para servir
quem quiser ser grande, faça-se servo de todos

Aleluia aleluia, aleluia

Estas palavras encerram o capítulo dedicado a Jerusalém onde se anunciava o castigo por causa da sua cegueira espiritual. Isaías profetiza, no entanto, a grande obra de transformação da humanidade. Não será preciso esperar muito, diz o profeta: "em breve" o Senhor intervirá. Por sua vez, podemos dizer que "em breve" será o Natal de Jesus. A profecia deseja que toquemos com mão aquilo que sucede quando Deus intervém: "o Líbano será transformado em pomar e o pomar parecerá um bosque". Também a Criação beneficiará com a transformação do coração dos homens. Eles viverão na Terra sem arruiná-la, sem a explorar em prol dos próprios interesses egocêntricos. O profeta esclarece que o povo já não está surdo à Palavra de Deus e, finalmente, abre os olhos ao amor fiel que Deus tem pelos Seus filhos. É o povo dos justos que reconhece o Senhor como o seu único guia. Assim o fez Abraão, recorda o profeta. Ao lado do povo dos justos, encontra-se o povo dos pobres que rejubila ao sentir a proximidade do Santo de Israel. É verdade, o povo dos crentes e o povo dos pobres, unem-se no novo mundo de Deus, onde o tirano e o arrogante são abatidos e todos os que tramam o mal e preparam ratoeiras, derrotados. É o novo Reino que Deus vem instaurar. Por isso, "Jacob não ficará envergonhado, o seu rosto não ficará pálido, porque vendo o trabalho das minhas mãos no meio deles, santificará o meu Nome". Os crentes, e com eles, todos os que se unirão, verão as boas obras de cura e de salvação. Não só os crentes não se envergonharão, mas poderão regozijar pelas obras que o Senhor realizou através deles no meio dos homens.