Oração com Maria, Mãe do Senhor

Compartilhe Em


Leitura da Palavra de Deus

Aleluia aleluia, aleluia

O Espírito Santo virá sobre ti
Aquele que nascer de ti será santo.

Aleluia aleluia, aleluia

Gênesis 13,2.5-18

Abrão era muito rico em rebanhos, prata e ouro. Lot, que acompanhava Abrão, possuía, igualmente, ovelhas, bois e tendas; a terra não era bastante grande para nela se estabelecerem os dois, porque os bens de ambos eram avultados. Houve questões entre os pastores dos rebanhos de Abrão e os pastores dos rebanhos de Lot.
Os cananeus e os perizeus habitavam, então, aquela terra.

Abrão disse a Lot: «Peço-te que entre nós e entre os nossos pastores não haja conflitos, pois somos irmãos. Aí tens essa região toda diante de ti. Separemo-nos. Se fores para a esquerda, irei para a direita; se fores para a direita, irei para a esquerda.»

Lot ergueu os olhos e viu todo o vale do Jordão, que era inteiramente regado. Antes de o Senhor ter destruído Sodoma e Gomorra, estendendo-se até Soar, o vale era um maravilhoso jardim, como a terra do Egipto.

Lot escolheu para si todo o vale do Jordão e dirigiu-se para o oriente, separando-se um do outro.

Abrão fixou-se na terra de Canaã, e Lot nas cidades do vale, no qual ergueu as suas tendas até Sodoma.

Ora, os habitantes de Sodoma eram perversos, e grandes pecadores diante do Senhor.

Depois de Lot o ter deixado, Deus disse a Abrão: «Ergue os teus olhos e, do sítio em que estás, contempla o norte, o sul, o oriente e o ocidente.

Toda a terra que estás a ver, dar-ta-ei, a ti e aos teus descendentes, para sempre. Farei que a tua descendência seja numerosa como o pó da terra, de modo que só se alguém puder contar o pó da terra é que a tua posteridade poderá ser contada. Levanta-te, percorre esta terra em todas as direcções, porque Eu ta darei.»

Abrão desmontou as suas tendas e foi residir junto aos carvalhos de Mambré, próximo de Hebron; e ali construiu um altar ao Senhor.

 

Aleluia aleluia, aleluia

Eis, Senhor, os vossos servos:
Faça-se em nós segundo a vossa palavra

Aleluia aleluia, aleluia

Abrão vive num mundo de contrastes, de litígios, de guerras. Mas continua a viver a vocação que Deus confiou aos homens: ser irmãos entre si. Abrão e Lot eram muito ricos em bens e rebanhos pelo que o território onde viviam não permitia uma fácil convivência entre eles. Tanto é verdade, que muitas vezes, surgiam discussões entre os pastores de Abrão e os de Lot. A fraternidade estava em risco. Já tinha acontecido com Caim que não tinha aceite a diversidade e a fraqueza de Abel, chegando ao ponto de o matar. Desde então, cada homicídio é sempre um fratricídio. A tentação de nos isolarmos transforma-nos facilmente na tentação de querermos ser únicos. E a conclusão é a eliminação do próximo. Abrão, que é homem de paz e de fraternidade porque segue e escuta a Palavra de Deus, dirige-se a Lot e diz-lhe: "Não haja discussões entre nós, ... A Terra inteira está diante de ti. Por isso, peço-te que te separes de mim. Se fores para a esquerda, eu irei para a direita; se fores para a direita, eu irei para a esquerda". Abrão, para defender o valor da fraternidade e viver assim, na concórdia, renuncia também à parte mais bela da terra que Deus lhe tinha prometido, pois foi escolhida pelo irmão, Lot. É um gesto extraordinário que mostra a força de Abrão que antepõe a fraternidade acima de todos os outros interesses. Abrão sabia muito bem que a discórdia é sempre portadora de violência e de conflitos. É um exemplo de extraordinária força este gesto de Abrão, que deve inspirar todos os seus filhos, ainda hoje. O crente é chamado - em particular, hoje - a proteger de todos os modos, a fraternidade entre os povos. Lot estabelece-se perto de Sodoma, uma cidade já na altura triste e violenta, enquanto que Abrão se dirige para a terra de Canaã tendo, no entanto, o Senhor ao seu lado. É verdade, Abrão já não tem o irmão ao seu lado, mas o Senhor está com ele. Ele instala a sua tenda em Mambré, e será precisamente aqui que o Senhor o irá visitar.