Oração com os santos

Compartilhe Em


Leitura da Palavra de Deus

Louvor a Vós, Ó Senhor, Rei de eterna glória

Vós sois uma geração escolhida
um sacerdócio real, uma nação santa,
povo resgatado por Deus
para proclamar as suas maravilhas.

Louvor a Vós, Ó Senhor, Rei de eterna glória

Daniel 3,14-20.46-50.91-92

Disse-lhes Nabucodonosor: «Chadrac, Mechac e Abed-Nego, é verdade que rejeitais o culto aos meus deuses e a adoração à estátua de ouro erigida por mim? Pois bem! Estais dispostos, no momento em que ouvirdes o som da trombeta, da flauta, da cítara, da lira, da harpa, do saltério e de qualquer outro instrumento musical, a prostrar-vos em adoração diante da estátua que eu fiz? Se não o fizerdes, sereis logo lançados dentro da fornalha ardente. E qual o deus que poderá libertar-vos da minha mão?» Chadrac, Mechac e Abed-Nego responderam ao rei Nabucodonosor: «Não vale a pena responder-te a propósito disto. Se isso assim é, o Deus que nós servimos pode livrar-nos da fornalha incandescente, e até mesmo, ó rei, da tua mão. E ainda que o não faça, fica sabendo, ó rei, que não prestamos culto aos teus deuses e que não adoramos a estátua de ouro que tu levantaste.» Então explodiu a fúria de Nabucodonosor contra Chadrac, Mechac e Abed-Nego; a expressão do seu rosto mudou e levantou a voz para mandar que se aquecesse a fornalha sete vezes mais que de costume. Em seguida, ordenou aos soldados mais vigorosos do seu exército que amarrassem Chadrac, Mechac e Abed-Nego, a fim de os lançar na fornalha incandescente. Entretanto, os servos do rei, que os tinham lançado na fornalha, não cessavam de a aquecer com nafta, estopa, pez e lenha seca. As chamas, que então subiam a quarenta e nove côvados acima da fornalha, desviando-se, queimaram os caldeus que se encontravam junto dela. O anjo do Senhor, porém, tinha descido até Azarias e seus companheiros e afastava o fogo da fornalha. Transformou o centro da fornalha num lugar onde soprava como que uma brisa matinal: o fogo nem sequer os tocou e não lhes causou qualquer mal nem a menor dor. (24)Então o rei Nabucodonosor, estupefacto, levantou-se repentinamente, dizendo para os seus conselheiros: «Não foram três homens, atados de pés e mãos, que lançámos ao fogo?»
Responderam eles ao rei: «Com certeza».

(25)«Pois bem - replicou o rei - vejo quatro homens soltos, que passeiam no meio do fogo, sem este lhes causar mal; o quarto tem o aspecto de um filho de Deus.»

 

Louvor a Vós, Ó Senhor, Rei de eterna glória

Vós sereis santos,
porque Eu sou santo, diz o Senhor.

Louvor a Vós, Ó Senhor, Rei de eterna glória

O terceiro capítulo do livro de Daniel narra a história da estátua de ouro mandada erigir pelo rei Nabucodonosor para que fosse adorada por todos os súbditos do seu reino. Mas alguns judeus Sidrac, Misac e Abdénago, provenientes da Judeia depois da destruição de Jerusalém, recusaram-se a adorar a estátua que consideravam um ídolo. Por isso, eles são atirados para dentro de uma fornalha ardente. Perante um mundo que parece destinar à fossa do abismo tantos homens e mulheres despojados de qualquer liberdade e sob o domínio da violência, dirijamos a nossa oração ao Senhor, certos de que Ele escuta os Seus filhos e vem em nosso socorro. Em qualquer situação de dificuldade podemos dirigir-nos ao Senhor, louvar as maravilhas que Ele realizou e saborear, desde já, a liberdade e a salvação. "Bendizei", repete o hino no início de cada versículo. A oração é, antes de mais, bênção e faz-nos participar na vida divina, preserva-nos da maldição de uma vida longe do Senhor. "Bendizei": é a exortação para nos colocarmos no horizonte do mundo a partir de Deus. A oração de louvor a Deus liberta todos do pequeno mundo do próprio âmbito particular e põe-nos em comunhão com todos os seres vivos. Repercorramos assim, na oração, a obra criadora de Deus, para que com todos os seres vivos possamos cantar a Sua misericórdia. Na verdade, a Sua "graça" dura para sempre. Esta é a descoberta do homem que reza e que, mesmo no abismo e perante o mal que incumbe, não deixa de louvar a Deus e é libertado da morte.