Oração pelos doentes

Compartilhe Em

Na Basílica de Santa Maria in Trastevere, reza-se pelos doentes.


Leitura da Palavra de Deus

Aleluia aleluia, aleluia

Eis o Evangelho dos pobres, a libertação dos prisioneiros,
a vista dos cegos, a libertação dos oprimidos

Aleluia aleluia, aleluia

Oséias 2,16.17-18.21-22

É assim que a vou seduzir:
ao deserto a conduzirei, para lhe falar ao coração.

Dar-lhe-ei então as suas vinhas
e o vale de Acor será como porta de esperança.
Aí, ela responderá como no tempo da sua juventude,
como nos dias em que subiu da terra do Egipto.

Naquele dia - oráculo do Senhor ela me chamará: «Meu marido»
e nunca mais: «Meu Baal.»

Então, te desposarei para sempre;
desposar-te-ei conforme a justiça e o direito,
com amor e misericórdia.

Desposar-te-ei com fidelidade,
e tu conhecerás o Senhor.

 

Aleluia aleluia, aleluia

O Filho do Homem veio para servir
quem quiser ser grande, faça-se servo de todos

Aleluia aleluia, aleluia

Seremos acompanhados nesta semana por algumas páginas do livro do profeta Oseias, um profeta que canta com particular força, a misericórdia de Deus. Do profeta conhece-se a sua vida familiar narrada nos primeiros três capítulos, de onde foi extraído o trecho que acabámos de escutar. Ele é casado com Gomer, uma mulher que continua a exercer a prostituição. E, no entanto, Deus obriga o profeta a casar-se com ela. Ela representa Israel que continua a trair a aliança com o Senhor. O Senhor pede a Oseias que se case com ela para poder mostrar também o Seu amor por Israel, apesar da traição. No trecho, transparece a força do amor de Deus que, apesar de traído pelo Seu povo, continua a cortejá-lo até reconduzi-lo de novo à aliança. Deus tinha dado tudo a Israel: a terra com os seus bens ("o meu pão e a minha água, a minha lã, o meu linho, o meu óleo e o meu vinho") e, no entanto, Israel continuava a seguir os ídolos, que se tinham tornado como que amantes a quem ligara o próprio coração. A palavra do profeta acusa o povo de se ter afastado de Deus e do Seu amor. Mas o Senhor não Se rende perante a amnésia do Seu povo e nem sequer das suas traições. Faz de tudo para reconquistar o coração do Seu povo: acusa, fala, tenta impedir o caminho em direcção dos ídolos, tira o que concedera como dádiva. No entanto, tudo isso parece inútil perante o orgulho que torna o povo de Israel confiante e auto-suficiente. Até que o conduz para o deserto. E aqui, no lugar da privação e da morte, Deus fala ao coração do Seu povo e leva-o a redescobrir a força e a doçura do amor com que é amado.