Oração com os santos

Compartilhe Em


Leitura da Palavra de Deus

Aleluia aleluia, aleluia

Vós sois uma geração escolhida
um sacerdócio real, uma nação santa,
povo resgatado por Deus
para proclamar as suas maravilhas.

Aleluia aleluia, aleluia

Apocalipse 15,1-4

Depois vi no céu outro sinal maravilhoso e surpreendente: sete anjos eram portadores dos sete últimos flagelos porque neles se cumpria a ira de Deus. Vi ainda uma espécie de mar de vidro misturado com fogo. Os que tinham vencido a Besta, a estátua da Besta e o número correspondente ao nome da Besta estavam junto do mar de vidro com as harpas que Deus lhes tinha dado. E cantavam o Cântico de Moisés, servo do Senhor, e o cântico do Cordeiro, aclamando:
«Grandes e admiráveis são as tuas obras,
Senhor Deus todo-poderoso!
Justos e verdadeiros são os teus caminhos,
ó Rei das nações!

Senhor, quem não reverenciará o teu nome?
Quem não lhe dará glória?
Porque só Tu és santo!
Todas as nações virão prostrar-se diante de Ti,
pois as tuas justas sentenças foram promulgadas!»

 

Aleluia aleluia, aleluia

Vós sereis santos,
porque Eu sou santo, diz o Senhor.

Aleluia aleluia, aleluia

Com esta página, inicia o último septenário antes da conclusão: estamos no fim dos tempos e o julgamento está para começar. Aos sete Anjos que tocavam as trompas substituem-se agora sete Anjos cada um com uma taça nas mãos. O apóstolo apresenta um mar cristalino onde, de pé, estão as testemunhas de Cristo, os que resistiram à Besta. E eles, como fizeram os hebreus à saída do Mar Vermelho, cantam hinos de louvor ao Senhor pelas Suas maravilhas; não cantam o próprio testemunho, não tecem os próprios louvores, não reivindicam um próprio privilégio pelo próprio trabalho, como geralmente caímos na tentação de fazer. Eles louvam as grandes e maravilhosas obras de Deus. Na verdade, é o Senhor quem os fortaleceu, salvou e protegeu. Têm clara a primazia de Deus sobre a vida deles, ou melhor, sobre toda a história humana. O Apocalipse coloca-os diante dos nossos olhos para que nos ensinem como nos devemos apresentar diante de Deus e como Lhe devemos dirigir o nosso louvor. O canto deles está imbuído de trechos bíblicos, como que a nos querer sugerir também a preciosidade da Bíblia para a nossa oração. Estamos a pensar na beleza e na força da oração dos salmos. É deveras acertada a afirmação daqueles que consideram os salmos como as orações que Deus colocou nas nossas bocas para que quando as proferirmos, tenhamos a certeza que Lhe chegarão ao coração e O comoverão. No fim do cântico, João vê abrir-se no Céu a Tenda do Testemunho. Na tradição de Israel esta Tenda era o lugar da manifestação de Deus ao Seu povo, lugar não da ira ou do castigo, mas da misericórdia e do amor. Cada assembleia de oração deve tornar-se numa Tenda do Testemunho e da Misericórdia.