Oração com os santos

Compartilhe Em


Leitura da Palavra de Deus

Louvor a Vós, Ó Senhor, Rei de eterna glória

Vós sois uma geração escolhida
um sacerdócio real, uma nação santa,
povo resgatado por Deus
para proclamar as suas maravilhas.

Louvor a Vós, Ó Senhor, Rei de eterna glória

São Lucas 11,29-32

Como as multidões afluíssem em massa, começou a dizer:
«Esta geração é uma geração perversa; pede um sinal, mas não lhe será dado sinal algum, a não ser o de Jonas.

Pois, assim como Jonas foi um sinal para os ninivitas, assim o será também o Filho do Homem para esta geração.

A rainha do Sul há-de levantar-se, na altura do juízo, contra os homens desta geração e há-de condená-los, porque veio dos confins da terra para ouvir a sabedoria de Salomão; ora, aqui está quem é maior do que Salomão!

Os ninivitas hão-de levantar-se, na altura do juízo, contra esta geração e hão-de condená-la, porque fizeram penitência ao ouvir a pregação de Jonas; ora, aqui está quem é maior do que Jonas.»

 

Louvor a Vós, Ó Senhor, Rei de eterna glória

Vós sereis santos,
porque Eu sou santo, diz o Senhor.

Louvor a Vós, Ó Senhor, Rei de eterna glória

Jesus está circundado por muita gente. O evangelista fala de "multidões", no plural, que se apinhavam à volta de Jesus. Como na altura, também hoje são muitos os que procuram palavras que confortem e ajudem a não sucumbir aos muitos receios que tornam a vida difícil. Estamos todos à mercê de uma pandemia que subverteu o planeta inteiro. E muitos elevaram o próprio olhar para o Céu a invocar uma ajuda. Sentimos na nossa pele o medo de sermos atingidos. Um sentido de desalento que se manifestou em todos. E os mais fracos são os que foram mais atingidos. Nas grandes cidades - como Nínive no tempo de Jonas - o desalento foi ainda mais grave. E, ainda hoje, a vida nas periferias das megalópoles é mais dura, mais violenta e abate-se com uma renovada maldade sobre os mais frágeis como o são os idosos e os jovens a quem é negada a porta do futuro. Vemos crescer desequilíbrios físicos e mentais, pobreza e marginalização, desespero e angústia. E, como no tempo de Jesus, as pessoas pedem por um sinal, um evento, mais ou menos prodigioso, que possa libertar da angústia. Às vezes, clamamos por um "salvador" que possa assumir o comando de tudo com a ilusão que possa encontrar como que por magia, mas na realidade autoritariamente, a solução. Não há eventos mágicos que mudem a vida, não há sortes imprevistas que tornem os dias mais serenos. Precisamos de um verdadeiro "sinal", de um verdadeiro salvador que ajude a transformar os corações, a torná-los mais solidários, mais acolhedores, mais capazes de amar. Este sinal é Jesus. É Ele quem transforma os corações. É preciso - e é este o ensinamento da página evangélica - que as ruas e as praças das nossas cidades sejam atravessadas de novo pela pregação do Evangelho, como aconteceu com Nínive com a pregação de Jonas. O Evangelho ajuda a transformar o coração, a torná-lo de carne e já não de pedra. Os cristãos desta geração são chamados a proclamar o Evangelho do amor à geração de hoje. O Evangelho é a única verdadeira força que torna mais humanos os homens e as mulheres.