Oração da Santa Cruz

Compartilhe Em

Memória de São João Paulo II, morto em 2005. Recordação de Maria Salomé, mãe de Tiago e de João, que seguiu o Senhor até à Cruz e O depôs no sepulcro.


Leitura da Palavra de Deus

Aleluia aleluia, aleluia

Eis o Evangelho dos pobres,
a libertação dos prisioneiros,
a vista dos cegos,
a libertação dos oprimidos

Aleluia aleluia, aleluia

São Lucas 12, 54-59

Dizia também às multidões: «Quando vedes uma nuvem levantar-se do poente, dizeis logo: ‘Vem lá a chuva'; e assim sucede. E quando sopra o vento sul, dizeis: ‘Vai haver muito calor'; e assim acontece. Hipócritas, sabeis interpretar o aspecto da terra e do céu; como é que não sabeis reconhecer o tempo presente?» «Porque não julgais por vós mesmos, o que é justo? Por isso, quando fores com o teu adversário ao magistrado, procura resolver o assunto no caminho, não vá ele entregar-te ao juiz, o juiz entregar-te ao oficial de justiça e o oficial de justiça meter-te na prisão. Digo-te que não sairás de lá, antes de pagares até ao último centavo.»

 

Aleluia aleluia, aleluia

O Filho do Homem veio para servir
quem quiser ser grande, faça-se servo de todos

Aleluia aleluia, aleluia

Porque é que, muitas vezes, não conseguimos ver os "sinais do Senhor" mesmo quando estão diante dos nossos olhos? A resposta é simples: porque estamos tão concentrados sobre nós mesmos e sobre as nossas coisas que não conseguimos ver mais nada. E, no entanto, diz Jesus, somos muito mais hábeis quando se trata de prever o frio e o calor. Nestes casos, olhamos para as nuvens ou saímos de casa para sentir o vento. Jesus adverte-nos que deveremos erguer os nossos olhos para compreender o tempo da salvação. O primeiro grande sinal é o Evangelho: podemos dizer, é o sinal dos sinais. "Não sabeis interpretar o tempo presente", repreende Jesus. Há uma urgência em compreender o mundo em que vivemos marcado pelo drama da pandemia e por todas as consequências a ela ligadas, que nos fala de um mundo conectado no bem e no mal. Um juízo objectivo, uma verdadeira inteligência da história, aberta à esperança, vem da frequentação das Escrituras, da escuta da Palavra de Deus que ilumina a mente e abre o coração para compreender os sinais de Deus na história dos homens. Por isso, um dos teólogos mais conhecidos de Novecentos, Karl Barth, amava dizer que o cristão tem numa mão a Bíblia e na outra o jornal. A Sagrada Escritura é luz para os nossos passos. Precisamente como o exemplo dado por Jesus: procurar o acordo com o adversário antes de chegarmos ao tribunal para o julgamento, antes de ser tarde demais. A Palavra de Deus ajuda-nos a entrever os sinais da presença de Deus, a divisar a necessidade que este nosso tempo tem do Evangelho do amor.