Oração do Dia do Senhor

Compartilhe Em

II do tempo comum
Oração pela unidade dos cristãos. Memória particular das Igrejas ortodoxas.


Primeira Leitura

Isaías 49,3.5-6

Disse-me: «Israel, tu és o meu servo,
em ti serei glorificado.»

E agora o Senhor declara-me
que me formou desde o ventre materno,
para ser o seu servo,
para lhe reconduzir Jacob,
e para lhe congregar Israel.
Assim me honrou o Senhor.
O meu Deus tornou-se a minha força.

Disse-me: «Não basta que sejas meu servo,
só para restaurares as tribos de Jacob,
e reunires os sobreviventes de Israel.
Vou fazer de ti luz das nações,
para que a minha salvação chegue até aos confins da terra.»

Salmo responsorial

Salmo 39 (40)

Ao director do coro. Salmo de David.

Invoquei o Senhor com toda a confiança;
Ele inclinou-se para mim e ouviu o meu clamor.

Tirou-me dum poço fatal, dum charco de lodo;
assentou os meus pés sobre a rocha
e deu firmeza aos meus passos.

Ele pôs nos meus lábios um cântico novo,
um hino de louvor ao nosso Deus.
Muitos, ao verem isto, hão-de comover-se,
hão-de pôr a sua confiança no Senhor.

Feliz o homem que confia no Senhor
e não se volta para os idólatras,
para os que seguem a mentira.

Grandes coisas fizeste por nós, Senhor, meu Deus;
não há ninguém igual a ti!
Quantas maravilhas e desígnios em nosso favor!
Quisera anunciá-los e proclamá-los,
mas são tantos que não se podem contar.

Não quiseste sacrifícios nem oblações,
mas abriste-me os ouvidos para escutar;
não pediste holocaustos nem vítimas.

Então eu disse: «Aqui estou!
No Livro da Lei está escrito
aquilo que devo fazer.»

Esse é o meu desejo, ó meu Deus;
a tua lei está dentro do meu coração.

Anunciei a tua justiça na grande assembleia;
Tu bem sabes, Senhor, que não fechei os meus lábios.

Não escondi a tua justiça no fundo do coração;
proclamei a tua fidelidade e a tua salvação.
Não ocultei à grande assembleia
a tua bondade e a tua verdade.

Senhor, não me recuses a tua ternura;
que a tua graça e a tua verdade me protejam sempre!

Males sem conta me cercam;
as minhas iniquidades caem sobre mim, sem que as possa ver!
São mais numerosas que os cabelos da minha cabeça;
por isso, o meu ânimo desfalece.

Senhor, vem em meu auxílio,
apressa-te em socorrer-me!

Fiquem confundidos e envergonhados
os que procuram tirar-me a vida.
Retrocedam e corem de vergonha
os que desejam a minha desgraça.

Fiquem atónitos e cheios de vergonha
os que troçam de mim.

Alegrem-se e exultem em ti todos os que te procuram.
Digam sem cessar os que desejam a tua salvação:
«O Senhor é grande!»

Eu, porém, sou pobre e desvalido:
Senhor, cuida de mim.
Tu és o meu auxílio e o meu libertador:
ó meu Deus, não tardes!

Segunda Leitura

I Coríntios 1,1-3

Paulo, chamado por vontade de Deus a ser apóstolo de Cristo Jesus, e Sóstenes, nosso irmão, à igreja de Deus que está em Corinto, aos santificados em Cristo Jesus, chamados a ser santos, com todos os que em qualquer lugar invocam o nome de Nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor deles e nosso: graça e paz vos sejam dadas da parte de Deus, nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo.

Leitura do Evangelho

Aleluia aleluia, aleluia

Ontem fui sepultado com Cristo,
hoje ressuscito convosco que ressuscitastes;
convosco fui crucificado,
recordai-vos de mim, Senhor, no vosso Reino.

Aleluia aleluia, aleluia

São João 1,29-34

No dia seguinte, ao ver Jesus, que se dirigia para ele, exclamou: «Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo! É aquele de quem eu disse: ‘Depois de mim vem um homem que me passou à frente, porque existia antes de mim.’ Eu não o conhecia bem; mas foi para Ele se manifestar a Israel que eu vim baptizar com água.» E João testemunhou: «Vi o Espírito que descia do céu como uma pomba e permanecia sobre Ele. E eu não o conhecia, mas quem me enviou a baptizar com água é que me disse: ‘Aquele sobre quem vires descer o Espírito e poisar sobre Ele, é o que baptiza com o Espírito Santo’. Pois bem: eu vi e dou testemunho de que este é o Filho de Deus.»

 

Aleluia aleluia, aleluia

Ontem fui sepultado com Cristo,
hoje ressuscito convosco que ressuscitastes;
convosco fui crucificado,
recordai-vos de mim, Senhor, no vosso Reino.

Aleluia aleluia, aleluia

Homilia

O Evangelho leva-nos, mais uma vez, para as margens do rio Jordão, para o baptismo de Jesus. O quarto evangelista, contrariamente aos sinópticos, não narra a cena do baptizado, mas refere apenas o testemunho de João Baptista, que veio para "dar testemunho da luz" (Jo 1, 7). João vê "Jesus que se aproximava dele". É Jesus quem "vai ter com" João Baptista, não o contrário. É Jesus quem vem ter connosco. E fá-lo com humildade, com delicadeza, sem se impor de maneira violenta. É assim que o Senhor continua a aproximar-Se, também hoje, dos homens e das mulheres de todos os lados.
João Baptista regressa para nos ajudar a abrir os olhos do coração para vermos este mistério. O hábito pode-nos distrair, a concentração sobre nós mesmos ofusca-nos a visão e o orgulho cega-nos. João Baptista é-nos de exemplo. Não tem medo de dizer: "Eu também não O conhecia". E, apesar de O já ter visto no passado, não tinha compreendido o "verdadeiro" rosto de Jesus. Também ele precisou de não se contentar com o que já sabia, de não parar na sua procura, de sair dos seus hábitos de sempre e de aguardar a revelação de Deus. Assim fez e o Senhor contentou-o. Também enquanto estava prisioneiro nunca deixou de procurar e enviou os seus discípulos para interrogar Jesus. É fácil para nós presumir de já conhecer o Senhor, de saber quanto basta do Evangelho e de nos sentirmos como que dispensados da procura mais profunda do rosto de Jesus, da compreensão mais fervorosa e apaixonada deste mistério de amor. A nossa preguiça, também espiritual, pode levar-nos a acreditar que é possível viver de rendimentos, continuando mais ou menos monotonamente, a viver como sempre. O exemplo de João Baptista leva-nos a crescer no conhecimento de Jesus, a estarmos mais prontos e generosos a dar resposta aos pedidos de amor que continuam a crescer das muitas periferias humanas e geográficas deste nosso mundo. Se João Baptista, apesar de ser tão grande espiritualmente, afirma: "Eu também não O conhecia", o que é que nós deveremos dizer? E não nos devemos esquecer que, pouco antes, tinha dito às multidões: "No meio de vós está Alguém que vós não conheceis!" (Jo 1, 26).
Imitemos o desejo de João Baptista de encontrar Jesus. Muitas são as maneiras de viver esta tensão. Mas todas elas requerem que se retome o Evangelho e O escutemos com filial perseverança. Tentemos abrir as páginas deixando-nos tocar o coração: veremos o Senhor aproximar-Se. Vê-l'O-emos como um "Cordeiro que tira o pecado do mundo"; vê-l'O-emos como Aquele que toma consigo o nosso peso, a nossa angústia, as nossas cruzes, as nossas dúvidas, as nossas incertezas, os nossos pecados. A partir deste conhecimento começamos a seguir o Senhor.