ORAÇÃO TODOS OS DIAS

Oração pela Paz
Palavra de deus todos os dias

Oração pela Paz

Na Basílica de Santa Maria in Trastevere, reza-se pela paz.
Memória de São Policarpo (+155), discípulo do apóstolo João, bispo e mártir.
Leia mais

Libretto DEL GIORNO
Oração pela Paz
Sexta-feira, 23 de Fevereiro

Na Basílica de Santa Maria in Trastevere, reza-se pela paz.
Memória de São Policarpo (+155), discípulo do apóstolo João, bispo e mártir.


Leitura da Palavra de Deus

Louvor a Vós, Ó Senhor, Rei de eterna glória

Eis o Evangelho dos pobres, a libertação dos prisioneiros,
a vista dos cegos, a libertação dos oprimidos

Louvor a Vós, Ó Senhor, Rei de eterna glória

São Mateus 5, 20-26

Porque Eu vos digo: Se a vossa justiça não superar a dos doutores da Lei e dos fariseus, não entrareis no Reino do Céu.» «Ouvistes o que foi dito aos antigos: Não matarás. Aquele que matar terá de responder em juízo. Eu, porém, digo-vos: Quem se irritar contra o seu irmão será réu perante o tribunal; quem lhe chamar ‘imbecil' será réu diante do Conselho; e quem lhe chamar ‘louco' será réu da Geena do fogo. Se fores, portanto, apresentar uma oferta sobre o altar e ali te recordares de que o teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa lá a tua oferta diante do altar, e vai primeiro reconciliar-te com o teu irmão; depois, volta para apresentar a tua oferta. Com o teu adversário mostra-te conciliador, enquanto caminhardes juntos, para não acontecer que ele te entregue ao juiz e este à guarda e te mandem para a prisão. Em verdade te digo: Não sairás de lá até que pagues o último centavo.»

 

Louvor a Vós, Ó Senhor, Rei de eterna glória

O Filho do Homem veio para servir
quem quiser ser grande, faça-se servo de todos

Louvor a Vós, Ó Senhor, Rei de eterna glória

A justiça de que fala Jesus não consiste em cálculos igualitários, mas sim na actuação do amor ilimitado de Deus. Não se trata de um juiz que aplica uma norma, mas de uma mãe que ajuda a crescer um filho. Por isso, Jesus acrescenta com uma severa admoestação: "Se a vossa justiça não superar a dos doutores da Lei e dos fariseus, não entrareis no Reino dos Céus". Para Jesus, ser-se bom como os fariseus é o mesmo que não o ser por nada. E explica-o com palavras que nunca ninguém ousara proferir antes d'Ele e que ninguém ouviu dizer senão do Evangelho. Jesus não propõe uma nova casuística ou uma nova praxe jurídica, mas uma nova maneira de entender as relações entre os homens. Ele revela o nó crucial que substancia o sentimento do ódio pelo próximo: é uma força destruidora que leva a conceber o próximo como inimigo e, consequentemente, como um adversário que deve ser eliminado. O ódio começa pelas coisas pequenas, como a raiva que, amiúde, envenena a sociedade contemporânea. E, palavras que parecem inofensivas como estúpido ou louco, levam à destruição do tecido social. Jesus afirma que só o amor é que é o cumprimento da Lei e que só no amor é que se pode ultrapassar a inimizade. Portanto, é necessário passar de um preceito negativo (não ficar com raiva, não chamar idiota, não matar) para o positivismo da amizade. A força das relações humanas é o que ajuda a reconstruir o futuro da humanidade. É uma dimensão central para Jesus: o amor entre nós tem um valor tão alto ao ponto de requerer, se falta, a interrupção do culto a Deus. A "misericórdia" vale mais do que o "sacrifício"; o culto, como relação com Deus, não pode prescindir de uma relação de amor com os homens. E é o amor que deve presidir à nossa maneira de agir. Por isso, Jesus, na presença de conflitos, aconselha a procurar um acordo em vez de ir para o tribunal. Não se trata apenas da conveniência de evitar a prisão, mas de praticar um estilo fraterno. Deste modo, não só se vai além do mero respeito pela lei, mas procura-se criar aquele modo solidário de viver que torna estável e linda a convivência entre as pessoas e entre os povos.

PALAVRA DE DEUS TODOS OS DIAS: O CALENDÁRIO