ORAÇÃO TODOS OS DIAS

Oração da vigília
Palavra de deus todos os dias
Libretto DEL GIORNO
Oração da vigília
Sábado, 24 de Fevereiro


Leitura da Palavra de Deus

Louvor a Vós, Ó Senhor, Rei de eterna glória

Todo o que vive e crê em mim
não morrerá jamais.

Louvor a Vós, Ó Senhor, Rei de eterna glória

São Mateus 5, 43-48

«Ouvistes o que foi dito: Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo. Eu, porém, digo-vos: Amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem. Fazendo assim, tornar-vos-eis filhos do vosso Pai que está no Céu, pois Ele faz com que o Sol se levante sobre os bons e os maus e faz cair a chuva sobre os justos e os pecadores. Porque, se amais os que vos amam, que recompensa haveis de ter? Não fazem já isso os cobradores de impostos? E, se saudais somente os vossos irmãos, que fazeis de extraordinário? Não o fazem também os pagãos? Portanto, sede perfeitos como é perfeito o vosso Pai celeste.»

 

Louvor a Vós, Ó Senhor, Rei de eterna glória

Se tu creres verás a glória de Deus
diz o Senhor.

Louvor a Vós, Ó Senhor, Rei de eterna glória

Continua o Sermão do Monte. Jesus, depois de ter recordado aos discípulos os sentimentos comuns do tempo: "Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo", propõe o Seu Evangelho: "Eu, porém, digo-vos: amai os vossos inimigos e rezai por aqueles que vos perseguem". Jesus propõe o amor, o primeiro dos mandamentos, como o centro da vida do discípulo e da Igreja. A verdadeira sabedoria da vida, não é decerto a de nos deixarmos levar pelo ódio e pela vingança. Infelizmente, estes sentimentos e comportamentos presentes desde sempre em todo o homem, não deixam de fazer sentir a própria força e, lamentavelmente, também a sua aparência de normalidade. É fácil pensar que é normal defendermo-nos de quem nos quer magoar. No entanto, Jesus pede para se descer mais profundamente no coração dos homens e da própria vida. Por isso, de maneira de todo paradoxal mas decidida, chega a pedir aos Seus discípulos para amarem também os inimigos. Não será uma utopia abstracta e irrealizável? Não se deverá, porventura, replicar a esta página aquilo que os discípulos disseram em Cafarnaum quando Jesus afirmou ser o pão da vida: "Este modo de falar é duro demais"? Jesus foi o primeiro a pôr em prática estas palavras - ainda que perturbantes - quando, do alto da Cruz rezou pelos Seus carrascos. E quantos mártires, a começar por Estêvão, viveram com o mesmo espírito! Certo, um amor do género não provém dos homens e seguramente não nasce naturalmente dos nossos corações: vem do alto, de Deus que faz nascer o sol indistintamente sobre justos e injustos. Nenhum de nós mereceria ser amado pelos próprios méritos, no máximo, seriam poucos, se é que há. Como escrevia um monge santo do Oriente cristão, São Silvano do Monte Athos: "Se amarmos os nossos inimigos, não haverá espaço na nossa alma para o orgulho, uma vez que o amor, à semelhança de Jesus Cristo não coloca ninguém acima do outro... Quando a alma placa a sua paixão e se torna humilde, o Senhor dá-lhe a Sua graça e, então, ela reza pelos inimigos como para si mesma, e verte lágrimas quentes pelo mundo inteiro". Os discípulos vivem neste horizonte de amor. Portanto, deverá existir uma dimensão paradoxal na vida dos cristãos: é o paradoxo de um amor que vem do Céu e que transforma a Terra.

PALAVRA DE DEUS TODOS OS DIAS: O CALENDÁRIO