news

Sant’Egídio torna-se Observador permanente do Conselho da Organização Internacional pela Migração

6 Dezembro 2016 - GENEBRA, SUÍÇA

ImmigrationrefugeesRefugeeshumanitarian corridor

Foi assinado um memorandum de entendimento para promover e realizar novas actividades de assistência dirigidas aos migrantes em dificuldades

Compartilhe Em

Começou ontem, em Genebra, o 107º conselho da Organização Internacional pela Migração, durante o qual foi formalizado o novo estatuto da Comunidade de Sant'Egidio como observador da IOM.

O Conselho, o primeira desde que a OIM se juntou ao sistema das Nações Unidas, foi organizado por ocasião do 65º ano da fundação da Organização, e sentiu um aumento adicional dos Estados membros - tornaram-se agora 166 - e dos membros observadores.
O novo estatuto da Comunidade Sant'Egídio no conselho OIM foi acompanhado pela elaboração de um Memorando de Entendimento que será assinado hoje em Genebra pelo Director Geral da OIM, William Lacy Swing, e o secretário-geral da Comunidade de Sant 'Egídio, Cesare Giacomo Zucconi.

"Depois de anos de colaboração com a Comunidade de Sant'Egídio, estamos satisfeitos que a colaboração entre a OIM e a Comunidade possa entrar numa nova fase", disse Federico Soda, Diretor do Escritório de Coordenação da OIM para o Mediterrâneo.
"O memorando de entendimento define algumas áreas importantes de cooperação entre as duas organizações, com particular atenção na promoção de canais legais de entrada para os migrantes e refugiados - incluindo um reforço do instrumento de reagrupamento familiar - e sublinha a necessidade de abertura de corredores humanitários para os migrantes que se encontram em situações de emergência. O documento também enfatiza a importância de reforçar colaborações e sinergias nos países de origem dos migrantes e refugiados "

"Ser reconhecidos como observadores permanentes no Conselho da OIM honra-nos e leva-nos a um maior empenho", diz Mauro Garofalo, responsável das relações internacionais da Comunidade de Sant’Egídio. "Diante do desafio global colocado pelos migrantes e refugiados há necessidade de colaborações entre organizações internacionais, Estados e sociedade civil. É o que mostra o projeto piloto dos corredores humanitários, nascido de uma sinergia positiva entre a sociedade civil e as instituições italianas e agora a estudo para outros países europeus ".

A partir de dezembro de 2015, a Comunidade de Sant'Egídio começou graças a um acordo com o Estado italiano um projeto piloto para a abertura de corredores humanitários destinados a pessoas em situações de vulnerabilidade, como mulheres solteiras com crianças, idosos, pessoas com deficiência ou doenças graves, para uma transferência de forma segura para Itália, que solicitaram asilo. Os corredores humanitários preveem a chegada, no período de dois anos, de mil refugiados na maior parte do Líbano, a maioria sírios que fugiram da guerra. Até agora, já chegaram 500 e outros tantos chegaram em 2017.

A OIM -  entre as inúmeras atividades desenvolvidas em Itália - está atualmente envolvida no programa de restabelecimento (Resettlement) de migrantes sírios em Itália e de recolocação (Relocation) para estados membros da União Europeia e desenvolve há mais de 10 anos actividades de assistência aos migrantes nos principais locais de desembarque na Sicília, Puglia e Calabria. Os escritórios da OIM no mundo estão constantemente envolvidos em programas de apoio aos migrantes vitimas de crises humanitárias. Entre estes, têm particular relevância as actividades de apoio aos migrantes que passam nos centros de trânsito em Agadez e Niamey, geridos directamente pela missão da OIM na Nígéria.
"A assinatura do memorando de entendimento com a Comunidade de Sant'Egidio" ", conclui Federico Soda, insere-se numa política de colaborações humanitárias já estabelecida dentro da nossa organização e esperamos que possa começar novas iniciativas para oferecer apoio e assistência a cada vez mais migrantes e refugiados ".