news

Sant'Egidio faz festa para os 49 anos com opovo da Comunidade

9 Fevereiro 2017

HOMILIESPOORMarco ImpagliazzoPrayerSant'EgidioAndrea RiccardiPeace

Basílica de São João cheia de jovens e idosos, sem-abrigo e refugiados vindos com os corredores humanitários. Marco Impagliazzo: "Acreditamos numa cidade onde não há nós e eles, mas onde podemos construir juntos uma grande força de paz".

Compartilhe Em

Basílica de São João de Latrão lotada esta noite para os 49 anos da Comunidade de Sant'Egidio. Um "povo" de todas as idades, de todos os bairros da Capital, juntamente com os amigos que o acompanham e com alguns representantes das instituições, participaram na celebração presidida por Dom Giovanni Angelo Becciu.

Durante a homilia, o Substituto da Secretaria de Estado para os Assuntos Gerais insistiu sobre a vocação de Sant'Egidio: "A vossa missão é ir a todas as periferias, onde há conflitos, onde as pessoas não são reconhecidas na sua dignidade, onde as diversidades são vividas como exclusão e conflito ao invés de que enriquecimento". Para que "as periferias voltem a ser o centro". Uma Comunidade que nasceu em Roma, mas que está aberta ao mundo: "A vossa Romanidade" torne-vos a todos como colaboradores do Papa Francisco, que dilatam o próprio coração e os braços, chegando até onde ele não pode chegar fisicamente. Somente desta forma pode-sei mudar a geopolítica do mundo". E chamou de "tenaz" o trabalho levado a cabo por Sant'Egidio, como o desempenhado para a integração dos imigrantes e refugiados: "Permita-me encorajá-los a continuar a construir pontes,laços, para que se afirme uma cultura da convivência, um civilização do amor, embora isso nem sempre é a orientação do mundo, especialmente nestes tempos".

Dirigindo uma saudação no final da liturgia, o presidente da Comunidade, Marco Impagliazzo, afirmou: "Acreditamos numa cidade onde não há nós e eles, mas onde pode-se construir juntos uma grande força de paz. Hoje não estamos a celebrar uma instituição, mas estamos a viver num momento de festa que não exclui ninguém. Aqui é representada toda a Roma, todas as gerações: das crianças aos idosos, romanos e romanos adquiridos, representantes de tantos países, culturas e religiões". "Não é por acaso, é uma escolha - destacou Impagliazzo - a nossa vida quotidiana, no centro como na periferia. Esta cidade, e mais geralmente a sociedade, necessita da contribuição de todos para crescer bem e realizar o anseio que nós sentimos mais urgente neste momento: o da paz".

No final da celebração, grande festa no pórtico do Latrão com no centro aquelas periferias humanas e existenciais que desde o início é uma parte integrante da Comunidade: participaram muitos sem-abrigo com que a Comunidade tem uma longa amizade que permitiu encontrar algumas soluções concretas, as pessoas com deficiência, inseridas em programas de inclusão social, os idosos necessitados, aos quais Sant'Egidio é particularmente próximo, juntamente com os imigrantes e refugiados sírios que chegaram do Líbano com os corredores humanitários. Uma festa aberta a todos os amigos da Comunidade e representantes das instituições (o presidente do Senado, Pietro Grasso, o Presidente da Câmara Municipal de Roma, Virginia Raggi), que será replicada em mais de 70 países onde opera Sant'Egidio, com mais de 60 mil pessoas, da Europa à África, da Ásia à América Latina.

Homilia de Mons. Giovanni Angelo Becciu no 49º aniversário da Comunidade de Sant'Egidio

Saudação de Marco Impagliazzo

VÍDEO: Sant'Egidio uma presença no mundo

VÍDEO: O povo de Sant'Egidio