news

Dia Mundial da Alfabetização: a escola, uma prioridade absoluta

8 Setembro 2020

School of Peace
childrenhuman rightsHumanitarian emergencies

As Escolas da Paz em Itália e no mundo para garantir apoio escolar e educação sanitáriaA 8 de Setembro é o Dia Internacional da Alfabetização,

Compartilhe Em

A 8 de Setembro é o Dia Internacional da Alfabetização, estabelecido há 55 anos pela UNESCO para comemorar o direito universal à educação e a importância da alfabetização como motor do desenvolvimento. Este aniversário assume um significado muito especial, enquanto o mundo enfrenta uma pandemia, que tem tido uma das consequências mais dramáticas no encerramento das escolas. Segundo um recente relatório da UNICEF, um terço dos alunos do mundo - 463 milhões de crianças e jovens - não puderam aceder ao ensino à distância devido à falta de ferramentas informáticas durante o lockdown.

Face a esta emergência educativa global,
a Comunidade de Sant'Egidio mobilizou-se em 70 países de todos os continentes, onde está presente, organizando centros de Verão e aulas de recuperação para crianças que tinham sido privadas da escola. As Escolas da Paz não pararam em Nyumanzi, o campo no Uganda que acolhe refugiados do Sudão do Sul, ou para as crianças de Moçambique, deslocadas pelos ataques terroristas no norte do país ou pelos recentes ciclones no Centro-Norte.

Também em Lesbos, durante uma missão humanitária em Agosto passado, foi realizada a Escola da Paz
para os refugiados no campo de Moria, com aulas de inglês e matemática, mas também com cursos de higiene e educação sanitária, para difundir entre os mais jovens aquelas normas e comportamentos que podem interromper o contágio: distanciamento, higienização das mãos, uso correcto da máscara.

Em muitas cidades italianas,
Génova, Lecce, Nápoles, Milão, Pádua e Roma - para citar apenas algumas - centenas de voluntários revezaram-se nas Summer School, centros educativos de Verão gratuitos, para apoiar milhares de crianças e jovens na recuperação de disciplinas que tinham sido negligenciadas. Enquanto milhões de famílias italianas aguardam o reinício do ano escolar, Sant'Egidio espera que a escola seja considerada uma prioridade absoluta, que seja assegurada a todos a continuação das actividades educativas nas escolas de todos os níveis e graus e, numa possível educação à distância, não se esqueçam daqueles que têm dificuldades, porque o direito de estudar é um direito universal que deve ser garantido a todos.