news

10 de Outubro, Dia Mundial contra a Pena de Morte: assinemos o apelo para salvar a vida de Kosoul Chanthakoummane

10 Outubro 2021

Death Penalty

Compartilhe Em

Condenado: Kosoul Chanthakoummane
Data da execução: 10 Novembre 2021
Lugar da execução: Huntsville, Texas Estados Unidos

Kosoul Chanthakoummane nasceu em Illinois em 1/10/1980Foi detido e posteriormente condenado à morte em 2006.   Na sua vida, sempre trabalhou como camionista e armazenista, nunca tinha estado na prisão antes.  A sua data de execução foi fixada para 10 de Novembro de 2021.

A decisão de o condenar à morte não foi impedida nem pelo uso controverso de provas obtidas sob hipnose e através de outras práticas de validade científica altamente duvidosa, nem pelo perdão e pedido de clemência do pai da vítima, em nome da sua profunda fé católica. Soubemos que a data de execução para Kosoul foi fixada para 10 de Novembro de 2021.

Uma mobilização internacional, inclusive através da campanha "No Death Penalty" da Comunidade de Sant'Egidio, apela agora à suspensão da execução da pena de morte. Temos um mês para enviar apelos e pedir para interromper a execução.

Kosoul Chanthakoummane do corredor da morte de Polunsky mantém por correio uma importante rede de apoio e amizade, também com alguns amigos da Comunidade de Sant'Egidio.  Para o conhecer melhor e compreender os seus sentimentos, citamos um trecho de uma sua recente carta: "Acredito sempre que há amigos por aí que ainda tenho de conhecer, por isso aqui estou eu. Já conheces a parábola bíblica da semente de mostarda? É realmente um testemunho da nossa condição humana nas coisas desconhecidas que hesitamos em fazer e que exigem uma quantidade extraordinária de fé. As coisas que não podemos ver mas que acreditamos existirem. Agora tenho de ser honesto convosco.  Infelizmente, tenho uma data de execução agendada para 10 de Novembro de 2021. (...) Manterei viva a minha fé em Deus, manterei a esperança de que os meus advogados possam obter para mim o que é conhecido como uma "suspensão da execução", o que impedirá a minha morte para revisão legal.  Espero que reze por mim, nem que seja só uma vez. Nenhuma oração a Deus é desperdiçada".

Na nossa proximidade com aqueles que não podem deixar de sofrer uma morte cruel, estamos firmemente conscientes de que nenhuma reparação pode vir colocando um ser humano de novo à morte.  Não há justiça sem vida. Não há justiça sem considerar, face ao maior mal, as razões da misericórdia. Pedimos àqueles que podem decidir pela vida parar e considerar, como está a acontecer cada vez mais no mundo, todas as medidas alternativas disponíveis de justiça e misericórdia.