news

Apelo urgente para salvar a vida de Melissa Lucio, mãe hispânica de 14 filhos, condenada no Texas. A sua execução está agendada para 27 de Abril de 2022

28 Março 2022

Death Penalty

Assine o apelo

Compartilhe Em

Melissa Lucio, 53 anos, é uma mulher hispânica (méxico-americana nascida nos EUA), de Harlingen, Sul do Texas/Cameron County, no Vale do Rio Grande, a 30 minutos de carro da fronteira mexicana. Ela é católica e está no corredor da morte em Gatesville, Texas, há 14 anos e teve 14 filhos.

Melissa foi detida em 2007 após a polícia ter encontrado o corpo sem vida da sua filha Mariah (que na altura tinha dois anos de idade), que tinha morrido de um ferimento contuso na cabeça, como foi evidente pelo exame do seu corpo ferido.

A polícia acusou imediatamente Melissa do homicídio, após um interrogatório extenuante que durou sete horas (até às 3 da manhã), conduzido sem a assistência de um advogado. No final, a mulher admitiu que tinha causado os hematomas, mas que estava inocente e que não tinha matado a rapariga, como ela continua a dizer hoje.

Nenhuma investigação foi conduzida, nenhuma prova foi trazida ao julgamento e nenhuma testemunha foi ouvida.  Melissa teve um grupo de advogados corruptos que não a defenderam devidamente. Quando uma das suas filhas admitiu que era responsável pela queda de Mariah nesse dia, o advogado decidiu não utilizar essa declaração durante o julgamento, embora pudesse ter isentado Melissa da acusação de homicídio e provado a sua inocência.

No julgamento, o promotor Armando Villalobos não quis ter em conta as provas de vários factos:

- Os filhos de Melissa, que sempre afirmaram que Melissa não era violenta, não foram autorizados a testemunhar, embora duas das crianças mais pequenas tenham declarado em entrevistas filmadas que tinham visto a rapariga cair de uma rampa de escadas.

- Melissa não tinha antecedentes, nunca tinha sido presa e nunca tinha sido acusada de abuso de crianças.

Assim, em 2008, Melissa, graças a uma defesa ineficaz e a um juiz corrupto, foi condenada à morte, sem provas claras e sem testemunhas, mas apenas presumida culpabilidade.

Em 2019, o Tribunal Federal de Recurso reconheceu que o direito a uma defesa justa tinha sido violado, mas apesar disso a Melissa permaneceu no corredor da morte e em Janeiro de 2022 foi fixada uma data de execução para 27 de Abril.

O caso de Melissa desde 2020 tem tido grande visibilidade internacional e está a crescer um movimento de opinião para salvar a sua vida, também graças ao lançamento de um filme comercialmente disponível de Sabrina Van Tassel intitulado "O Estado do Texas vs. Meliss”.

Para assinar o apelo clique aqui:

nodeathpenalty.santegidio.org/appelli/appello-urgente-per-melissa-lucio-la-sua-esecuzione-e-prevista-per-il-27-aprile-2022/

Para ver o vídeo:

youtu.be/hN2cGWGO984

O documentário mostra com provas claras como o procurador distrital, Armando Villalobos, que conduziu o julgamento, depois condenado por corrupção a uma pena de prisão de 13 anos, explorou o caso de Melissa para ser reeleito.

Há muitas razões para rever o julgamento e para pedir clemência para Melissa. A morte é sempre injusta. Reajamos juntos a esta condenação, assinemos o apelo para apoiar uma mulher que viveu uma vida de dor.

1.3.2022 – A Conferência dos Bispos do Texas lançou um apelo para salvar a vida de Melissa: leia-o no site da Conferência dos Bispos do Texas (em inglês)