news

25 anos de paz em São Salvador: Sant'Egídio celebra-os através do envio de ajuda humanitária aos prisioneiros

21 Fevereiro 2017 - EL SALVADOR

PrisonHumanitarian aid

Os jovens da comunidade envolvidos na distribuição às famílias dos prisioneiros e crianças detidas

Compartilhe Em

2017 é um ano especial para El Salvador, que celebra o 25º aniversário do acordo de paz assinado em 1992, após uma guerra civil que durou 12 anos, que causou mais de 80.000 mortes e 15.000 desaparecidos. A Comunidade Sant'Egídio quis comemorar estes anos de paz com os presos nas prisões deste país da América Central: domingo, 19 de fevereiro dois contentores de ajuda humanitária chegaram a El Salvador para aliviar a condição precária dos prisioneiros .

Cerca de 270 mil itens de vestuário saíram de Roma, graças a uma recolha de Natal a favor dos detidos e à colaboração do Núcleo da Policia Tributária da Guarda Fiscal de Roma, que doou à Comunidade Sant'Egídio uma grande quantidade de roupas novas apreendidas, de outra forma destinadas à destruição. A ajuda foi enviada com a colaboração da Cooperação para o Desenvolvimento do Ministério dos Negócios Estrangeiros e das Nações Unidas. A distribuição será realizada pelos jovens da Comunidade de Sant'Egídio, que vão entregar às famílias dos presos e aos menores sob proteção legal.

Apesar do clima de festa pelos 25 anos de paz, cresce em São Salvador a preocupação sobre as medidas contra a imigração propostas recentemente pelos Estados Unidos, onde atualmente vivem cerca de 2 milhões de Salvadorenhos. Só na última semana de janeiro desembarcaram em El Salvador cinco voos federais que partiram dos Estados Unidos com 439 pessoas repatriadas. As autoridades de imigração deste país da América Central estimam que ao longo dos próximos meses, se as propostas de aplicação da lei aos fluxos migratórios forem aprovadas, o número de repatriados poderá chegar a uma média de 2.000 pessoas por mês, com graves repercussões na situação social do país.

Neste contexto, a Comunidade de Sant'Egídio, presente em muitas cidades de São Salvador com escolas de paz e um programa de adoções à distância, renova o seu compromisso em particular nas realidades mais periféricas para difundir uma cultura de paz e não violência.