Riccardi Andrea: na web

Riccardi Andrea: em redes sociais

Riccardi Andrea: revista de imprensa

change language
você está em: home - news newsletterlink

Support the Community

  
9 Fevereiro 2015 | ROMA, ITÁLIA

"As pessoas não conhecem o vosso nome, chamam-vos de os sem abrigo ... estou ao vosso lado." O abraço do Papa para os pobres sem abrigo em Pietralata

Ao longo da visita a uma paróquia na periferia de Roma, o Papa Francisco encontra um grupo de amigos da Comunidade de Sant'Egidio que não têm casa. As suas palavras

 
versão para impressão

Domingo, 8 de Fevereiro, Papa Francisco visitou a paróquia de Pietralata, um bairro histórico da periferia romana. Antes de chegar à igreja, parou num bairro de lata, onde vivem imigrantes da América Latina, ucranianos e outros pobres, amigos da Comunidade de Sant'Egidio, que os visita regularmente, oferecendo-lhes alimentos, mantas e o calor da amizade. A visita inesperada do papa provocou uma grande alegria. No meio das palhotas rezou-se o Pai Nosso, em espanhol, num pequeno círculo, quase abraçados pelo papa.

Mais tarde, ao visitar a paróquia, o Papa parou com todos: pessoas do bairro crianças, e até mesmo um grupo de pessoas sem abrigo que vivem nos arredores da paróquia. Também eles são amigos de Sant'Egidio. Duas vezes por semana, na zona de Pietralata e Tiburtina, grupos da Comunidade oferecem o jantar para os sem abrigo. Existe um serviço de chuveiros, faz o almoço de Natal juntos desde alguns anos.

O encontro foi comovedor. Alguns deles ajoelharam-se diante do Papa Francisco, pedindo o seu perdão para a vida dura que levaram.

Respondeu-lhes o papa: "Obrigado pela vossa generosidade, pela vossa paciência, obrigado por não terem apagado a esperança e pelo testemunho que levais a frente na solidão, a cruz.

Muitas vezes, o facto de que as pessoas não conheçam o vosso nome e vos chamem de "os sem abrigo", vós aguentais ... esta é a vossa cruz. Mas há algo no vosso coração: o Espírito Santo. Nós vemos o fogo, então vemos as cinzas e pensamos que tudo acabou, não há mais nada, mas se vem um pouco de vento, se fizermos um gesto sobre as cinzas, vem o fogo. Dentro muitas cinzas de sofrimento e solidão há o fogo do Espírito Santo, há o abraço do amor de Deus.

Porque o Senhor permite esta cruz?

Ele permitiu-o ao seu filho por primeiro e Jesus me entende e eu também entendo a vós bem e na minha pobreza ... ..com todo o meu coração estou ao vosso lado e agora vos abençoe o Pai, o Pai de todos nós".

No final, depois de ter abençoado os pobres e os seus amigos, o Papa Francisco pediu para orar por ele.