Riccardi Andrea: na web

Riccardi Andrea: em redes sociais

Riccardi Andrea: revista de imprensa

change language
você está em: home - news newsletterlink

Support the Community

  
20 Abril 2013 | MAPUTO, MOÇAMBIQUE

Centenas de pessoas no Maputo para o último adeus a Ana Maria Muhai, a primeira ativista do programa DREAM.

Uma mulher corajosa, que passou a sua vida para vencer o estigma para com os doentes de SIDA e incentivá-los a tratar-se. Uma irmã e uma amiga a quem devemos muito. A memória de Andrea Riccardi

 
versão para impressão

 A 19 de Abril, no Maputo, muitos deram suas últimas homenagens a Ana Maria Muhai, a primeira ativista do programa DREAM, uma mulher, uma irmã, amiga de muitos, não apenas em Moçambique, mas também em Roma e em todo o mundo. De Roma e  de muitas cidades de Moçambique e da África, reuniram-se os seus amigos, com os quais, por mais de dez anos, Ana Maria tem trabalhado incansavelmente para encorajar os doentes a tratar-se e a recuperar a esperança. 

No final do funeral foi lida uma mensagem de Andrea Riccardi LEIA a mensagem de Andrea Riccardi

Da periferia de Moçambique para o mundo inteiro: em muitos lembram-se dela debaixo da mangueira do centro DREAM de Maputo, enquanto falava, encorajava os doentes, contando de si e comunicando esperança. Mas a sua história atravessou as fronteiras e o seu testemunho chegou a homens e mulheres em muitos países do mundo. O encontro com DREAM, na verdade, a salvara, e desde então se transformara num exemplo extraordinário, não só no Maputo e não só para os moçambicanos. Testemunha incessante, em Junho de 2011, intervira na Assembléia das Nações Unidas em Nova Iorque, para apoiar o acesso universal ao tratamento e havia-se tornado numa das “testimonal” mais famosas e representativas do programa DREAM e num ícone incontestável da luta contra o HIV.

Ana Maria tinha nascido há 51 anos atrás numa província rural de Moçambique. Em 2002, quando tinha encontrado o programa DREAM, que dava seus primeiros passos na "casinha" da Machava, no Maputo, estava muito doente: aos 41 anos, pesava 28 kg, o corpo cheio de feridas, desprezada por todos.

 

Ela começara o tratamento imediatamente e depois de alguns meses, recomeçara a sentir-se bem: os medicamentos e a amizade tinham-lhe devolvido a saúde e a dignidade. Contava divertida que os seus vizinhos de casa, ao vê-la de novo a andar pela rua, não podiam acreditar que era ela e lhe beliscavam para se certificar de que não fosse um fantasma. Começou a passar o seu tempo livre no centro DREAM para atender os doentes e convencer a todos a fazer o teste e começar o tratamento.

Ela foi a primeira em Moçambique a declarar publicamente de ser HIV positiva e a mostrar-se na primeira pessoa, dando a cara, para superar o estigma.

Seu sonho era arrancar à morte os muitos doentes que tinham medo de começar o tratamento. Quem falava com ela sentia o "contágio positivo" da sua força, o seu carinho e a sua coragem.

Ela dizia: "... eu não aprendi pelos livros ou associações a SIDA, mas no meu corpo e na minha pele." Afirmava isso em voz alta e tenaz mostrando a sua foto de quando estava doente a quem não sabia que existiam os anti-retrovirais e que não queria nem ouvir falar de SIDA.

Os mídia moçambicanos tinham-na apelidado ''a gladiadora'' e ao longo dos anos se multiplicaram os convites para transmissões radiofónicas e televisivas e entrevistas nos jornais.

Foi o primeiro membro da associação EU DREAM, que reúne homens e mulheres seropositivos que se empenham para garantir o direito ao tratamento nos países africanos.

Ana Maria, muitas vezes viajou para o exterior para trazer o seu testemunho, apoiar e capacitar os ativistas dos outros países, porque depois de ter encontrado DREAM considerava-se renascida: a sua vida foi transfigurada, não somente no corpo, mas também no espírito, começara a viver para os outros, sentia viva uma dívida de amor.

Nos últimos meses, foi atingida por outra doença grave, diferente daquela para a qual  estava sendo tratada, mas nunca ficou sem esperança e serenidade.

Nas últimas semanas, foi cercada pela ternura e pelo carinho dos seus amigos que cuidaram dela e ficaram  sempre ao seu lado: isto infundia-lhe coragem e a consolava a consciência da oração dos irmãos da Comunidade de Sant'Egidio em muitos países do mundo.

A notícia da sua morte magoou muitos.

A Comunidade de Sant'Egidio reuniu-se em volta dela, mensagens chegaram de todo o mundo e muitas comunidades a recordaram.

Os mídia moçambicanos deram immediatamete o anúncio da sua morte, foram publicados artigos e transmitidas as entrevistas que tinha lançado na televisão ao longo dos anos.

O funeral foi assistido por representantes de instituições públicas e da sociedade civil.

Expressaram carinho e condolências para a Comunidade de Sant’Egidio e a família, o Gabinete da Primeira Dama, o Conselho Nacional pela Luta contra a SIDA, o Parlamento da Juventude, o Ministério da Mulher e Acção Social.

 

Ana Maria, filha da Comunidade de Sant'Egidio, deixa um vazio, mas também o grande testemunho de como uma mulher humilde da periferia do mundo pode transformar-se numa mulher importante que muda a história e a vida de muitos com simplicidade e coragem

OBJETOS ASSOCIADOS
 

 LEIA TAMBÉM
• NOTÍCIA
2 Janeiro 2017

Boas notícias do Congo: alcançou-se um acordo sobre as eleições. O papel decisivo da Conferência Episcopal

IT | ES | DE | FR | PT
25 Novembro 2016
PARIS, FRANÇA

Paz na Síria, Iraque, República Centro-Africana: conversa entre Andrea Riccardi e o Ministro dos Negócios Estrangeiros francês Jean-Marc Ayrault

IT | ES | DE | FR | PT
23 Novembro 2016
GOMA, REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DO CONGO

Floribert, jovem mártir da corrupção: aberta oficialmente a causa de beatificação pelo bispo de Goma

IT | ES | DE | FR | PT | HU
21 Novembro 2016
ROMA, ITÁLIA

Paz na República Centro-Africana: os líderes religiosos de Bangui em Sant'Egidio relançam a plataforma para a reconciliação

IT | ES | DE | FR | PT | CA
19 Novembro 2016
ROMA, ITÁLIA

República Centro-Africana:encontro segunda-feira em Sant'Egidio. Dissociar as religiões da guerra e lançar um modelo de reconciliação

IT | ES | FR | PT | CA
10 Novembro 2016

SIDA, O Prémio Antonio Feltrinelli da Accademia dei Lincei ao programa DREAM

IT | FR | PT
todas as notícias
• IMPRIMIR
20 Janeiro 2017
Sette: Magazine del Corriere della Sera

Andrea Riccardi: Quel San Francesco inedito che voleva dialogare con l'Islam

19 Janeiro 2017
FarodiRoma

“Francesco profeta e uomo di governo”. Il professor Riccardi analizza il Pontificato di Bergoglio, che “inciderà sulla storia di lungo periodo del cattolicesimo"

17 Janeiro 2017
Sette: Magazine del Corriere della Sera

Andrea Riccardi: L'Iraq ci dice che anche nel secolo dei diritti umani non c`è posto per i gruppi minoritari

12 Janeiro 2017
Famiglia Cristiana

Andrea Riccardi: La Turchia di Erdogan fluttua nel vuoto

6 Janeiro 2017
Sette: Magazine del Corriere della Sera

Andrea Riccardi: Molti, oggi, piangono per Aleppo ma dov'erano nei primi anni dell'assedio?

3 Janeiro 2017
Sette: Magazine del Corriere della Sera

Andrea Riccardi: In un mondo dove la speranza è assente, rivendichiamo l'essenza "cristiana" dell'Europa

todos os press releases
• EVENTOS
11 Janeiro 2017

Sant'Egidio: al via la collaborazione con la Fondazione Arpa per la formazione e lo sviluppo di sistemi sanitari avanzati

Todas as reuniões de oração pela paz
• PENA DE MORTE NO
31 Outubro 2014

Inaugurata a Bukavu la campagna "Città per la vita"

12 Outubro 2014
All Africa

Africa: How the Death Penalty Is Slowly Weakening Its Grip On Africa

20 Setembro 2014

Ciad: il nuovo codice penale prevede l'abolizione della pena di morte

20 Setembro 2014
AFP

In Ciad rischio criminalizzazione gay, ma abolizione pena morte

ir para nenhuma pena de morte
• DOCUMENTOS

Andrea Riccardi - Oriente y Occidente - Diálogos de civilización

todos os documentos
• LIVROS

Périphéries





Editions du Cerf

L'Altro, l'Atteso





San Paolo
todos os livros

FOTOS

1325 visitas

1356 visitas

1373 visitas

1328 visitas

1343 visitas
todos os meios de comunicação relacionados