Riccardi Andrea: na web

Riccardi Andrea: em redes sociais

Riccardi Andrea: revista de imprensa

change language
você está em: home - news newsletterlink

Support the Community

  
1 Outubro 2013

Mensagem do Papa Francisco para os participantes no Encontro Internacional pela Paz "A Coragem de esperança"

 
versão para impressão

 Beatidues,

Cardeais,
Ilustres representantes das Igrejas, das Comunidades eclesiais e das grandes religiões,
 
Agradeço-lhes de coração por terem querido realizar esta visita. Dá-me alegria! Estão a viver juntos dias intensos neste Encontro que reúne povos de diferentes religiões, e que tem um título significativo e comprometidor: " A coragem da esperança". Agradeço ao professor Andrea Riccardi, pelas palavras de saudação que dirigiu em nome de todos vós, e com ele a Comunidade de Sant’Egidio, por seguir com tenacidade o caminho traçado pelo Beato João Paulo II através do histórico encontro de Assis: guardar acesa a lâmpada da esperança, orando e trabalhando pela paz. Foi em 1986, num mundo ainda marcado pela divisão em blocos opostos, e foi nesse contexto que o Papa convidou os líderes religiosos para rezarem pela paz: já não uns contra os outros, mas os uns ao lado dos outros. Não devia e não podia ficar um evento isolado. Vós continuaram este caminho e aumentaram o seu ritmo, envolvendo no diálogo personalidades significativas de todas as religiões e representantes leigos e humanistas. Mesmo nestes últimos meses, sentimos que o mundo precisa do "espírito" que animou aquele histórico encontro. Porquê? Porque há muita necessidade de paz. Não! Nunca podemos resignarmo-nos à dor de povos inteiros, refém da guerra, da miséria, da exploração. Não podemos assistir impotentes e indiferentes à tragédia de crianças, famílias, idosos, afectados pela violência. Não podemos deixar que o terrorismo aprisione o coração de alguns violentos para semear morte e dor para tantos. De maneira especial, digamos com força, todos, continuamente, que não pode haver nenhuma justificação religiosa para a violência. Não pode haver nenhuma justificação religiosa para a violência, de qualquer maneira ela se manifeste. Como o Papa Bento XVI destacou, há dois anos, pela ocasião do 25 º aniversário do encontro de Assis, é preciso apagar todas as formas de violência motivadas com a religião, e juntos vigiar para que o mundo não seja vítima daquela violência que existe em cada projecto de civilização que se baseia no "não" a Deus.
 
Como líderes das diferentes religiões podemos fazer muito. A paz é responsabilidade de todos. Orar pela paz, trabalhar pela paz! Um líder religioso é sempre um homem ou uma mulher de paz, porque o mandamento da paz é inscrito no mais profundo das tradições religiosas que representamos. Mas o que é que podemos fazer? O facto de vos encontrarem a cada ano sugere-nos o caminho: a coragem do diálogo. Esta coragem, esse diálogo é que dá esperança. Nada a ver com o otimismo, é outra coisa. Esperança! No mundo, na sociedade, há pouca paz também por falta de diálogo, é difícil sair do estreito horizonte dos próprios interesses para se abrir a um encontro verdadeiro e sincero. Para a paz é necessário um diálogo tenaz, paciente, forte, inteligente, pelo qual nada está perdido. O diálogo pode vencer a guerra. O diálogo faz com que pessoas de diferentes gerações, que muitas vezes se ignoram, possam viver juntos; como também cidadãos de diferentes origens étnicas, de diferentes crenças. O diálogo é o caminho da paz. Porque o diálogo favorece a compreensão, a harmonia, a concórdia, a paz. Por esta razão, é vital que cresça, que se espalhe entre as pessoas de todas as condições e convicções como uma rede de paz que protege o mundo e, especialmente, protege os mais fracos.
 
Os líderes religiosos são chamados a ser verdadeiras "pessoas em diálogo", a agir na construção da paz não como intermediários, mas como mediadores autênticos. Os intermediários procuram fazer descontos para todas as partes, a fim de obter um ganho para si mesmos. O mediador, no entanto, é o único que não mantem nada para si, mas se dedica generosamente até consumir-se, sabendo que o único ganho é o da paz. Cada um de nós é chamado a ser um artesão da paz, unindo e não separando, extinguindo o ódio e não guardando-o, ao abrir caminhos de diálogo e não ao erguer novos muros! Dialogar, encontrar-se para estabelecer no mundo a cultura do diálogo, a cultura do encontro.
O legado do primeiro encontro de Assis, alimentado ano após ano, também no vosso caminho, mostra como o diálogo está intimamente ligado à oração de cada um. Diálogo e oração crescem ou perecem juntos. A relação do homem com Deus é a escola e o alimento do diálogo com os homens. O Papa Paulo VI falava na "origem transcendente do diálogo" e dizia: "A religião é, por sua natureza, uma relação entre Deus e o homem. A oração exprime esta relação através do diálogo" (Encíclica Ecclesiam suam , 72) . Continuemos a rezar pela paz no mundo, pela paz na Síria, pela paz no Oriente Médio, pela paz em muitos Países do mundo. Esta coragem de paz doe a coragem da esperança ao mundo, a todos aqueles que sofrem com a guerra, aos jovens que olham preocupados com o seu futuro. Deus todo-Poderoso, que escuta as nossas orações, sustente-nos neste caminho de paz. E gostaria de sugerir que agora cada um de nós, todos nós, na presença de Deus, em silêncio, todos nós, desejamo-nos mutuamente a paz. [Pausa de silêncio]: Obrigado!
 

 LEIA TAMBÉM
• NOTÍCIA
21 Novembro 2016

Seria conveniente que cada comunidade pudesse, num domingo do Ano Litúrgico, renovar o compromisso em prol da difusão, conhecimento e aprofundamento da Sagrada Escritura: um domingo dedicado inteiramente à Palavra de Deus

IT | EN | ES | DE | FR | PT
17 Novembro 2016

Os pobres ensinam a solidariedade ao mundo! Quando há muita riqueza, esquecemo-nos de ser solidários

IT | ES | FR | PT
7 Novembro 2016

Onde à violência se responde com o perdão, aí também o coração de quem errou pode ser vencido pelo amor

IT | EN | ES | DE | FR | PT
29 Outubro 2016

Em Assis todos juntos falamos da paz e pedimos a paz. Dissemos juntos palavras fortes para a paz,

IT | DE | FR | PT
21 Outubro 2016

Há sempre alguém que sente fome e sede e precisa de mim. Não posso delegar outra pessoa.

IT | EN | ES | DE | FR | PT | HU
17 Outubro 2016

Sinto o dever de chamar a atenção para a realidade dos migrantes de menor idade, especialmente os deixados sozinhos, pedindo a todos para cuidarem das crianças

IT | DE | FR | PT
todas as notícias
• IMPRIMIR
28 Novembro 2016
FarodiRoma

La preghiera per la pace da Wojtyla a Bergoglio in un libro di Paolo Fucili

20 Setembro 2016
Vatican Insider

Germania, il prossimo incontro di S.Egidio avverrà nei territori della pace di Westfalia

9 Setembro 2016
SIR

Cei: il 20 settembre Giornata di preghiera per la pace in concomitanza con l’incontro di Assisi

19 Agosto 2016
Avvenire

Il Papa nella città del Poverello «celebra» lo spirito di Assisi Il 20 settembre sarà all'incontro "Sete di pace"

19 Agosto 2016
SIR

Comunità di Sant’Egidio: Impagliazzo, “gioia” per la presenza di Papa Francesco il 20 settembre ad Assisi

18 Agosto 2016
Avvenire

Dialogo e pace, il Papa ad Assisi il 20 settembre

todos os press releases
• DOCUMENTOS

Christians in the middle east: What Future ?

The Courage to Hope - THE DEFINITIVE PROGRAMME

todos os documentos
• LIVROS

Trialoog





Lannoo Uitgeverij N.V

Lo Spirito di Assisi





San Paolo
todos os livros

FOTOS

1154 visitas

1091 visitas
todos os meios de comunicação relacionados

Per Natale, regala il Natale! Aiutaci a preparare un vero pranzo in famiglia per i nostri amici più poveri